O Que Fake News?

Qual é o significado de fake news?

Definição – Fake news (“notícia falsa”, em português ) é um termo novo, ou neologismo, usado para se referir a notícias fabricadas. O termo fake news originou-se nos meios tradicionais de comunicação, mas já se espalhou para mídia online, Este tipo de notícia, encontrada em meios tradicionais, mídias sociais ou sites de notícias falsas, não tem nenhuma base na realidade, mas é apresentado como sendo factualmente corretas.

  1. Michael Radutzky, um produtor do show 60 Minutes da CBS, disse que seu show considera notícias falsas como “histórias que são comprovadamente falsas, têm um enorme tração na cultura, e são consumidas por milhões de pessoas”.
  2. Ele não inclui notícias falsas que são “invocadas por políticos contra os meios de comunicação sobre as histórias ou comentários que eles não gostam “.

Guy Campanile, também produtor de 60 Minutos, disse: “Estamos falando de histórias que são fabricadas do nada. De forma geral, criadas deliberadamente e que qualquer por qualquer definição sejam mentira.” A intenção e o propósito por trás da notícias falsas é importante.

  1. Sátira ou paródia (“sem intenção de fazer mal, mas tem potencial para enganar”)
  2. Falsa conexão (“quando as manchetes, visuais das legendas não dão suporte a conteúdo”)
  3. Conteúdo enganoso (“má utilização da informação para moldar um problema ou de um indivíduo”)
  4. Contexto falso (“quando o verdadeiro conteúdo é compartilhado com informações falsas contextuais”)
  5. Conteúdo impostor (“quando fontes verdadeiras são forjadas” com conteúdo falso)
  6. Conteúdo manipulado (“quando informação genuína ou imagens são manipuladas para enganar”, como fotos “adulteradas”)
  7. Conteúdo fabricado (“conteúdo novo é 100% falso, projetado para enganar e fazer mal”)

Em pesquisa realizada pela Kantar em 2017, a definição de notícias falsas ( fake news, no termo em inglês popularizado pelo presidente dos EUA, Donald Trump) ainda não era muito clara: 58% dos brasileiros entrevistados achavam se tratar de “uma história deliberadamente fabricada por um meio de comunicação”, 43% pensavam que o termo se referia a “história divulgada por alguém que finge ser um meio de comunicação”, 39% apontavam que seria “uma história que contém erro de informação” e 27% apostavam que seria uma “história tendenciosa”.

O que a fake news pode causar na sociedade?

Quais os perigos das fake news? – (Fonte: Tenor/Reprodução) As fake news podem causar muitos prejuízos. Boatos podem levar as pessoas a tomarem decisões equivocadas, com base em dados enganosos, colocando em risco a própria vida, a vida de terceiros ou a saúde pública. O sarampo era uma doença em vias de erradicação global em 2010, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

No entanto, informações falsas com alegações de que a composição química dos imunizantes seria prejudicial à população fez cair a adesão às campanhas de vacinação, Como resultado da propagação das fake news, houve um crescimento alarmante dos casos da doença em várias partes do planeta, inclusive no Brasil.

A OMS estima que em 2017 o sarampo provocou 110 mil mortes no mundo,

O que são fake news e os seus perigos?

As Fake News, ou notícias falsas, tornaram-se recorrentes em redes sociais como Whatsapp, Facebook, YouTube e alguns canais de televisão. Elas representam um sério risco à democracia, uma vez que possuem o poder de manipular o cidadão em eleições e plebiscitos.

O que é fake news e quais as suas consequências?

A mentira existe desde o começo da civilização. O uso político da maledicência também não é novidade dos nossos tempos. Na Roma Antiga, por volta de 33 a.C., Otaviano empreendeu uma campanha difamatória contra Marco Antônio, colocando sua lealdade à Roma em dúvida por causa do amor dele por Cleópatra.

O casal, por sua vez, contra-atacou questionando as origens de Otaviano — ele era parente de Júlio César apenas por parte de mãe. Até moedas foram cunhadas por ambos com imagens que os favoreciam nesse esforço de propaganda. O que mudou nos últimos anos, depois da explosão das redes sociais, foi a escala e o meio de difusão de mentiras, que passaram a ser chamadas de fake news (notícias falsas) e desinformação.

Usados popularmente como sinônimos, os dois termos têm diferenças conceituais de acordo com os estudiosos do assunto e as instituições que os utilizam. Segundo Eugênio Bucci, professor titular da Escola de Comunicações e Artes da USP, “fake news é a falsificação da forma notícia.

See also:  Jogo Do Psg Hoje Onde Assistir?

Parece ser uma notícia jornalística, mas não é”. Ele explicou o conceito em evento da Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo no ano passado, do qual também participou o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), desembargador Paulo Galizia. O professor argumenta que não se deve usar a expressão como sinônimo de mentira.

“Fake news são um tipo historicamente datado de mentira. São uma criação do século XXI, que frauda a forma notícia a partir das plataformas sociais e das tecnologias digitais que favorecem a difusão massiva de enunciados”, explica. “As fake news não existem desde sempre.” Já a desinformação, de acordo com o professor, trata-se de um ambiente comunicacional hostil à informação.

  • A desinformação é o efeito geral da disseminação de fake news e de outros recursos para enganar ou manipular pessoas ou públicos com fins inescrupulosos”, afirma.
  • Na era da desinformação, a capacidade social de distinguir fato e opinião se desfaz.” Contradição Para muitos pesquisadores, a expressão “fake news” é contraditória, pois as notícias por definição são verdadeiras, não sendo possível caracterizar algo falso como notícia.

Além disso, muitas vezes a notícia não é propriamente falsa, mas sim descontextualizada. E determinados conteúdos mentirosos não são sequer notícias de fato, mas sim memes ou mensagens compartilhadas por WhatsApp ou Telegram, por exemplo. Já “desinformação” tem um sentido mais amplo, que abarca as diferentes formas de difusão de informações mentirosas pela internet.

Em inglês, há três palavras para o fenômeno: disinformation, para informações falsas criadas com a intenção de causar dano; misinformation, para informações erradas divulgadas sem o objetivo de causar dano; e malinformation, para informações corretas, mas divulgadas de forma descontextualizada com o propósito de causar dano.

Conceito guarda-chuva No Plano Estratégico das Eleições 2022, elaborado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dentro do Programa Permanente de Enfrentamento à Desinformação, o termo é adotado como um “conceito guarda-chuva, que sintetiza os diferentes conteúdos relacionados aos contextos de desordem informacional e manipulação informacional”.

  • No âmbito do programa, é considerado “potencial desinformação” qualquer conteúdo “falso, equivocado, enganoso, impreciso, manipulado, fabricado, fraudulento, ilícito ou odioso”, além das informações fora de contexto, independentemente do formato, do canal de veiculação ou da intenção do agente.
  • Já em relação às fake news, a secretária de Comunicação do TRE-SP, Eliana Passarelli, afirma que há muitas definições para o termo, mas algumas características são centrais.

“Fake news é uma das formas de desinformação. Uma das suas características principais é que elas são divulgadas pela internet, usando o potencial de disseminação das redes sociais e dos programas de mensagens como o WhatsApp e o Telegram para alcançar um público amplo”, afirma.

  1. De acordo com a secretária, também é muito comum que os criadores de fake news utilizem os algoritmos das redes sociais para ampliar a repercussão.
  2. As mensagens falsas são direcionadas a públicos com mais probabilidade de acreditar nelas.
  3. Dessa forma, as pessoas são expostas a ideias em que já acreditam, e as fake news acabam por reforçar e radicalizar o pensamento de determinado grupo.” O fato é que, sejam chamados de fake news ou de desinformação, os conteúdos mentirosos têm 70% mais chance de serem compartilhados do que os verdadeiros, segundo estudo feito por pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) em 2018.
See also:  Quanto Custa A Disney Plus?

Ou seja, os desmentidos não têm o mesmo alcance do que a mentira propagada pela internet. Por isso, é importante saber identificar o que é notícia de fato e não compartilhar mensagens falsas. Fonte Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo

Como é que se escreve fake news?

Falando sobre Fake News – Este texto será elaborado pelos alunos em um processo de escrita coletiva. Nosso intuito é discorrer sobre Fake News. O que são? Como são produzidas? Como são utilizadas? Quem elas beneficiam? Como perceber que uma nótícia é falsa? etc. Fake news são noticias falsas,

Visualizar Histórico Mapa Arquivos

Grupos visíveis: Todos os participantes Versão de impressão

O que fazer para combater a desinformação?

Relatórios para combater desinformação – Os relatórios de combate à desinformação do Centro de Engajamento Global resumem as lições aprendidas sobre a desinformação e como combatê-la com base nas experiências de profissionais da linha de frente no combate à desinformação, em prol daqueles que são recém-engajados nessa questão.

Edições anteriores dos relatórios estão listadas abaixo e estão disponíveis também em espanhol, russo and francês, Este relatório se concentra em como e por que o medo é usado na desinformação, além de mostrar que salientar os medos irracionais das pessoas pode ajudar a combater essas narrativas falsas.

Provas documentais sobre as instruções dadas à fábrica de trolagem Agência de Pesquisa na Internet (IRA) após o assassinato de Nemtsov, e extensas alegações de propaganda/desinformação após os envenenamentos de Skripal e Navalny. Os objetivos gerais são manipular e enfraquecer os adversários.

  • As principais táticas para enfraquecer os adversários são desacreditá-los, dividi-los, desarmá-los e desmoralizá-los.
  • As autoridades russas valorizam a desinformação por seus efeitos cumulativos de longo prazo.
  • Uma análise abrangente de como a Rússia provavelmente segmenta os públicos-alvo e cria temas para cada um deles, com base em uma análise aprofundada do Departamento de Comunicação Estratégica das Forças Armadas Lituanas e análises da ONG lituana Debunk EU (Desmascarar a UE, em tradução livre), que pode servir como um modelo para outros governos ou organizações interessadas em conduzir análises semelhantes para seus países.

Atribui-se amplamente ao Grupo de Trabalho de Medidas Ativas interagências do governo dos EUA ter feito com que os soviéticos parassem com a desinformação grosseira, aberta e antiamericana no final da década de 1980. O relatório examina os fatores para seu sucesso, com lições que podem ser úteis hoje.

Provas documentais de arquivos da KGB sobre como a KGB tentou influenciar as decisões de governos estrangeiros no início dos anos 1980 fornecem informações irrepreensíveis sobre este aspecto pouco conhecido de desinformação. Mensageiros controlados pela KGB tentaram convencer líderes estrangeiros que se eles seguissem as políticas contra a União Soviética, isso criaria “cenários de pesadelo” para eles.

Não há razão para crer que os mesmos métodos não são usados hoje. Como a Fundação de Cultura Estratégica dirigida pelo Serviço de Inteligência Estrangeira (SVR) fez parceria com o Global Research (site de extrema-esquerda do Canadá) e o The 4th Media (site obscuro de Pequim), para começar a criar um sistema internacional de desinformação no início dos anos 2010.

Como o Serviço de Inteligência Estrangeira (SVR) usa uma revista digital pseudoacadêmica, Fundação de Cultura Estratégica, visando amplificar as opiniões de vozes marginais no Ocidente. Alegações falsas por parte da Rússia e da China de que o coronavírus é uma arma biológica dos EUA dão seguimento a 70 anos de alegações falsas de guerra biológica dos EUA.

Dicas sobre desmascaramento, a importância de desacreditar, contar histórias, reconhecer o poder das associações; como a verdade compete melhor com mentiras. A descoberta errônea da ciência social que prejudicou os esforços de combate à desinformação a partir de 2007.

Há três maneiras básicas de combater a desinformação: 1) refutar alegações de desinformação antes que elas se consolidem, conforme é feito na Lituânia; 2) uma abordagem de “contra-alegações”, na qual se tenta corrigir percepções errôneas depois de estabelecidas; 3) uma abordagem de “contramarcas”, que enfatiza expor as más ações do desinformante como forma de desacreditar suas falsas alegações.

Como ONGs lituanas usam algoritmos, pesquisadores voluntários e fortes contatos da mídia para monitorar, pesquisar e desmascarar a desinformação antes que seja amplamente disseminada.

See also:  Israel Fica Em Qual Continente?

Qual é o significado da palavra news?

Notícia

Como descobrir se é fake?

“A verdade é a adequação do pensamento à coisa real” São Tomás de Aquino (1225-1274) Na era da desinformação, com difusão em larga escala de fake news, pode ser difícil separar a verdade da mentira e, como definiu São Tomás de Aquino, adequar “o pensamento à coisa real”. Veja abaixo algumas dicas para identificar o que é notícia de fato e o que pode ser um conteúdo falso ou enganoso:

Títulos chamativos ou bombásticos

As chamadas fortes, que apelam à emoção, são uma das principais características das fake news. O objetivo é estimular o compartilhamento da mensagem com o máximo de pessoas. Muitas vezes, o título é enganoso e não corresponde ao restante do texto. Nunca leia só o título e confira se o fato foi noticiado em outros veículos.

Erros ortográficos ou gramaticais

Se o texto está cheio de erros ou mesmo se tiver apenas um erro grosseiro, desconfie. Veículos profissionais têm equipes que revisam o texto e as informações antes de publicar; nesse momento, normalmente eventuais erros são eliminados.

Textos opinativos como se fossem notícia

Em jornalismo profissional, artigos opinativos são assinados por seus autores, cuja opinião não se confunde com a do veículo. A opinião do veículo é expressa em editoriais identificados como tal. Textos noticiosos devem ser neutros. Se a suposta notícia traz opiniões disfarçadas no meio do texto, não é isenta — vá atrás de outras fontes sobre o assunto.

Sites ou canais desconhecidos

Não necessariamente uma notícia publicada por um site ou canal desconhecido é mentira, mas convém checar se outros veículos mais conhecidos também publicaram. Se o fato for relevante e verdadeiro, a grande imprensa com certeza irá noticiar. Do contrário, isso iria ferir a credibilidade dos veículos, que é o seu maior ativo.

Notícia verdadeira, mas antiga

Muitas vezes, há divulgação de notícias verdadeiras, mas descontextualizadas, divulgadas como se tivessem ocorrido recentemente, o que pode provocar desinformação. Sempre veja a data de publicação. Se a suposta notícia não tiver data, faça uma busca na internet para saber quando o fato ocorreu (e se realmente ocorreu).

URL falsificada

Preste muita atenção na URL, o endereço em que a notícia está de fato publicada. É comum os criadores de fake news divulgarem um link que aparentemente remete a um veículo tradicional, mas que na verdade direciona a um site onde o conteúdo falso está publicado.

Consulte agências de checagem

Os conteúdos mentirosos que viralizam costumam ser desmentidos por agências de checagem de notícias. Se recebeu algo que despertou dúvida, consulte essas agências para ver se há algum desmentido sobre o assunto. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem a página Fato ou Boato, que integra o Programa de Enfrentamento à Desinformação. | | | |

Qual é o significado da palavra desinformação?

Desinformação é a utilização das técnicas de comunicação e informação para induzir a erro ou dar uma falsa imagem da realidade, mediante a supressão ou ocultação de informações, minimização da sua importância ou modificação do seu sentido.

Em que consiste a manipulação de conteúdo?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. A manipulação da mídia ou manipulação da informação veiculada pela mídia refere-se ao uso de táticas ou técnicas de apresentação da informação transmitida pelos meios de comunicação, de modo a favorecer interesses de determinada parte.