O Que Fibrose Pulmonar?

O que leva a ter fibrose pulmonar?

O que é fibrose pulmonar? – O pulmão é um órgão flexível, que precisa ter a capacidade de se expandir e de se encolher para poder permitir o processo de respiração. Quando o pulmão do indivíduo, por algum motivo, fica com cicatrizes em seu tecido ou passa a ser mais endurecido, o paciente é diagnosticado com a fibrose pulmonar.

  • A fibrose pulmonar pode acontecer, por exemplo, devido a inalação de substâncias que fazem mal para o corpo, como o mofo, a poeira, o feno e madeira velha.
  • Essas substâncias acabam não sendo filtradas pelo nariz e podem fazer com que ele venha a desenvolver a Doença Intersticial Pulmonar, resultando na fibrose pulmonar.

Em outros casos, a fibrose pulmonar surge também como consequência de outras condições, como o lúpus e a artrite reumatoide. Existem ainda pacientes com fibrose pulmonar cuja causa não pode ser exatamente detectada.

O que acontece quando a pessoa tem fibrose no pulmão?

O que é fibrose pulmonar? – A fibrose pulmonar é uma doença causada pela lesão e cicatrização dos pulmões. A doença torna o tecido que envolve os sacos aéreos dos pulmões mais grossos, impedindo a passagem do oxigênio para a corrente sanguínea. Conforme evolui, os pulmões vão ficando cada vez mais comprometidos e o paciente sofre mais com a falta de ar, pois o sintoma aumenta progressivamente.

Falta de ar; Tosse seca; Cansaço excessivo; Dores musculares e articulares; Alargamento e arredondamento das pontas dos dedos, chamado de baqueteamento digital.

Além disso, pacientes que fumam, que lidam com poeira diária, que são expostos a tratamentos de radioterapia, estão mais expostos e têm mais chances de desenvolver a fibrose pulmonar. A fibrose pulmonar idiopática é o tipo mais grave de fibrose, pior do que câncer de pulmão, pois sendo diagnosticado precocemente, o câncer oferece chances de cura.

No entanto, a fibrose pulmonar idiopática, um dos tipos da doença, depois de diagnosticada, oferece sobrevida de média de 3 anos, se não for tratada. Por isso, aos primeiros sintomas, o paciente deve procurar um médico para começar o tratamento. Por outro lado, outros tipos de fibrose pulmonar permitem que o paciente viva por muitos anos e tenha certa qualidade de vida.

Para isso, é preciso começar o tratamento o quanto antes e seguir as recomendações do pneumologista. Veja como é possível ter qualidade de vida mesmo com fibrose pulmonar.

O que é fibrose pulmonar tem cura?

A fibrose pulmonar tem cura? – A fibrose pulmonar não tem cura, pois uma vez que o pulmão está lesionado, não há como reverter. Até hoje, nenhum tratamento que mostrasse resultados positivos para a reversão da doença. Por outro lado, existem terapias e tratamentos que ajudam a evitar que a doença avance rapidamente.

Qual é o sintoma de fibrose?

Fibrose Cística (FC), também conhecida como Doença do Beijo Salgado ou Mucoviscidose, é uma doença genética crônica que afeta principalmente os pulmões, pâncreas e o sistema digestivo. Atinge cerca de 70 mil pessoas em todo mundo, e é a doença genética grave mais comum da infância.

  • Um gene defeituoso e a proteína produzida por ele fazem com que o corpo produza muco de 30 a 60 vezes mais espesso que o usual.
  • O muco espesso leva ao acúmulo de bactéria e germes nas vias respiratórias, podendo causar inchaço, inflamações e infecções como pneumonia e bronquite, trazendo danos aos pulmões.

Esse muco também pode bloquear o trato digestório e o pâncreas, o que impede que enzimas digestivas cheguem ao intestino. O corpo precisa dessas enzimas para digerir e aproveitar os nutrientes dos alimentos, essencial para o desenvolvimento e saúde do ser humano.

  • Pessoas com fibrose cística frequentemente precisam repor essas enzimas através de medicamentos tomados junto às refeições, como forma de auxílio na digestão e nutrição apropriadas.
  • Sintomas: Os sintomas da fibrose cística e sua gravidade são diferentes para cada pessoa.
  • Pesquisas recentes mostram que parte dos sintomas está baseada no tipo de defeito genético ou mutação que o gene tem.

Há mais de mil tipos diferentes de mutação para esse gene. Via de regra, os sintomas estão ligados ao que a secreção mais espessa causa no organismo. Por exemplo, quando a secreção fica acumulada nos pulmões, pode gerar tosse crônica, pneumonias de repetição, infecções, inflamações e, quando expectorada, nota-se um aspecto de “chiclete”, muito mais espessa que o normal.

Quando a pessoa com FC também tem problemas pancreáticos, torna-se ainda mais difícil absorver as gorduras e nutrientes necessários para o crescimento, gerando sintomas como diarreia (geralmente volumosas, com odor fétido), e dificuldade para ganhar peso e estatura. Sintomas mais comuns: – pele/suor de sabor muito salgado; – tosse persistente, muitas vezes com catarro; – infecções pulmonares frequentes, como pneumonia e bronquite; – chiados no peito ou falta de fôlego; – baixo crescimento ou pouco ganho de peso, apesar de bom apetite; – diarreia; – surgimento de pólipos nasais; – baquetamento digital (alongamento e arredondamento na ponta dos dedos).

Diagnóstico: A FC pode ser identificada no Teste do Pezinho e diagnosticada através de exames genéticos ou do Teste do Suor. Tratamento: Todo o tratamento deverá ter acompanhamento médico e especializado e varia de acordo com a gravidade da doença e com a forma como ela se manifesta.

  1. Porém, a maioria dos tratamentos é projetada para tratar problemas digestivos e para limpeza dos pulmões.
  2. É composto por: – ingestão de enzimas digestivas para a alimentação; – suporte nutricional; – medicamentos broncodilatadores, antibióticos, anti-inflamatórios; – fisioterapia respiratória; – atividade física; – acompanhamento multidisciplinar frequente.

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo. Dica elaborada em fevereiro de 2.018.

Quanto tempo vive um paciente com fibrose pulmonar?

Qual a expectativa de vida de alguém com fibrose pulmonar? – O tempo médio de sobrevivência desde o diagnóstico era de três a cinco anos. Mas isso era uma média geral. Hoje em dia, com os novos tratamentos anti-fibróticos, essa expectativa tem aumentado de forma considerável, podendo passar dos 10 anos.

See also:  Como Saber Qual Minha Pomba Gira Pela Data De Nascimento?

Como se cura fibrose pulmonar?

A fibrose pulmonar tem cura? – A fibrose pulmonar não tem cura, pois uma vez que o pulmão está lesionado, não há como reverter. Até hoje, nenhum tratamento que mostrasse resultados positivos para a reversão da doença. Por outro lado, existem terapias e tratamentos que ajudam a evitar que a doença avance rapidamente.

Tem cura para fibrose?

Fibrose Cística: tratamento correto controla a doença e melhora a qualidade de vida | Biblioteca Virtual em Saúde MS O Dia Nacional de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística foi lembrado neste sábado, 5. Especialistas alertam para a necessidade de se realizar o correto diagnóstico da doença, que não tem cura, mas que pode ser controlada com tratamento multidisciplinar.

  • O diagnóstico precoce, realizado com o Teste do Pezinho, ajuda a conter os sintomas e a melhorar a qualidade de vida do paciente.
  • O Teste do Pezinho deve ser feito entre o 3º e 5º dia após o nascimento da criança.
  • O exame é simples, realizado com a coleta de gotinhas de sangue do calcanhar do recém-nascido – daí o nome.

A Portaria nº 822 de 2001, do Ministério da Saúde, instituiu, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), o Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN), que obriga hospitais públicos e particulares a realizarem o exame. A Fibrose Cística é uma doença genética que não tem cura.

Ela se manifesta, principalmente, no aparelho respiratório e no pâncreas. O tratamento é realizado com uma equipe composta por profissionais de saúde de várias especialidades, como médicos (geralmente pneumologista e gastroenterologista), enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas. Desde de 2008, o Hospital Universitário Professor Edgar Santos (Complexo HUPES), em Salvador (BA), conta com o Ambulatório Multidisciplinar de Fibrose Cística.

Segundo a coordenadora do ambulatório, a professora Edna Lúcia Souza, é importante conscientizar os profissionais de saúde sobre a doença para que eles saibam dar os devidos encaminhamentos no caso de suspeita de Fibrose Cística. “Caso o resultado do Teste do Pezinho dê alguma alteração, é preciso repetir o exame até o 30º dia de nascimento da criança”, explicou a professora.

Embora o PNTN esteja instituído desde 2001, alguns estados demoraram a implementar a realização dos exames. Na Bahia, por exemplo, só em 2013 foi iniciada a triagem neonatal para Fibrose Cística. Com isso, segundo o pneumologista Antonio Carlos Moreira Lemos, do Complexo Hupes, “a Fibrose Císitica tem sido diagnosticada na idade adulta, apesar dos pacientes desenvolverem os sintomas desde a infância”.

Por isso, há uma preocupação maior em identificar pacientes com este quadro que nasceram antes daquele ano. No caso de crianças que não fizeram o Teste do Pezinho, as alternativas para o diagnóstico da Fibrose Cística são o Teste do Suor e o Teste Genético. Fonte: Com informações do Complexo Hupes Fotos: rs.gov.br : Fibrose Cística: tratamento correto controla a doença e melhora a qualidade de vida | Biblioteca Virtual em Saúde MS

Quem tem fibrose pulmonar sente dor?

Como saber se estou com fibrose? Quais são os sintomas? – Os sintomas das fibroses pulmonares incluem tosse seca, falta de ar que pode ser leve ou grave. Em caso de doenças avançadas, podem haver outros sintomas, como dores torácicas, falta de ar para tomar banho e sinais de oxigenação baixa no sangue, que inclui lábios e pontas dos dedos arroxeados.

Como fica o pulmão de quem tem fibrose pulmonar?

O que é fibrose pulmonar? – A fibrose pulmonar é uma doença causada pela lesão e cicatrização dos pulmões. A doença torna o tecido que envolve os sacos aéreos dos pulmões mais grossos, impedindo a passagem do oxigênio para a corrente sanguínea. Conforme evolui, os pulmões vão ficando cada vez mais comprometidos e o paciente sofre mais com a falta de ar, pois o sintoma aumenta progressivamente.

Falta de ar; Tosse seca; Cansaço excessivo; Dores musculares e articulares; Alargamento e arredondamento das pontas dos dedos, chamado de baqueteamento digital.

Além disso, pacientes que fumam, que lidam com poeira diária, que são expostos a tratamentos de radioterapia, estão mais expostos e têm mais chances de desenvolver a fibrose pulmonar. A fibrose pulmonar idiopática é o tipo mais grave de fibrose, pior do que câncer de pulmão, pois sendo diagnosticado precocemente, o câncer oferece chances de cura.

  1. No entanto, a fibrose pulmonar idiopática, um dos tipos da doença, depois de diagnosticada, oferece sobrevida de média de 3 anos, se não for tratada.
  2. Por isso, aos primeiros sintomas, o paciente deve procurar um médico para começar o tratamento.
  3. Por outro lado, outros tipos de fibrose pulmonar permitem que o paciente viva por muitos anos e tenha certa qualidade de vida.

Para isso, é preciso começar o tratamento o quanto antes e seguir as recomendações do pneumologista. Veja como é possível ter qualidade de vida mesmo com fibrose pulmonar.

Como vive uma pessoa com fibrose?

A cada 10 mil bebês nascidos vivos, um possui fibrose cística. Também conhecida como mucoviscidose ou doença do beijo salgado, a doença – rara, hereditária e ainda sem cura – atinge cerca de 5,4 mil pessoas no Brasil e estima-se que 70 mil em todo o mundo.

  1. A fibrose cística pode comprometer as glândulas sudoríparas, pâncreas, intestinos, fígado e pulmões, devido ao acúmulo de secreções densas e pegajosas, de 30 a 60 vezes além do normal.
  2. Atualmente, 162 crianças e adolescentes com a doença são tratados no Ambulatório de Doenças Raras do Hospital Infantil João Paulo II (HIJPII), da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), representando cerca de 30% dos pacientes do estado.

Diagnóstico O diagnóstico ocorre, geralmente, nos primeiros dias de vida, quando detectada uma alteração no Teste do Pezinho. A confirmação vem com o Teste do Suor. Entre os sintomas mais comuns estão: pele de sabor muito salgado; tosse persistente, geralmente com catarro; infecções pulmonares frequentes; chiados no peito ou falta de fôlego; baixo crescimento oudificuldade em ganhar peso; problema no movimento intestinal, com poucas idas ao banheiro; e surgimento de pólipos nasais, causando obstruções no nariz.

See also:  Onde Vai Ser A PrXima Copa?

No Hospital Infantil João Paulo II (HIJPII), o tratamento conta com uso de medicamentos específicos e acompanhamento de equipe multidisciplinar com profissionais experientes – pneumologista, gastroenterologista, nutricionista, fisioterapeuta, enfermeiro, assistente social e psicólogo, além de hebeatra (especializado no atendimento a adolescentes), endocrinologista e paliativista.

De acordo com o pneumologista pediatra do HIJPII, Alberto Vergara, o tratamento é feito com uso de medicamentos para insuficiência pancreática, suplementos nutricionais, antibióticos e fluidificantes de muco. “O paciente com fibrose cística deve ter uma dieta hipercalórica e tomar enzimas pancreáticas em todas as refeições para conseguir digerir os nutrientes, além de realizar exames regularmente – culturas de secreções respiratórias, exames laboratoriais e radiológicos.

Também são necessárias nebulizações diárias de mucolíticos, fisioterapia respiratória frequente, e tratamento das infecções respiratórias com antibióticos orais, nebulizados e venosos”, explica. Segundo o pneumologista, a sobrevida mediana dos pacientes com fibrose cística é de aproximadamente 40 anos.

“A expectativa de vida desses pacientes melhorou muito. Hoje, 90% deles chegam à fase adulta”, afirma Vergara. Convivendo com a doença Célia Aparecida Armendane Melo descobriu a doença do filho aos 26 dias de vida. “Foi um grande choque. Nunca tínhamos ouvido falar dessa doença.

Abalou toda a nossa família. Já era uma grande novidade termos o nosso primeiro filho. Mas o desafio maior foi quando recebemos o diagnóstico da fibrose cística”, recorda. Desde então, Davi vem se tratando no Hospital Infantil João Paulo II (HIJPII). E, apesar das pesquisas na internet terem mostrado à Célia o pior quadro da doença, seu filho sempre respondeu bem ao tratamento e nunca apresentou problemas de nutrição, que são muito comuns nos portadores de fibrose cística, prejudicando o desenvolvimento da criança.

“O Davi sempre foi muito ativo e isso o ajudou muito. Ele faz uso das enzimas pancreáticas, por ter insuficiência do pâncreas causado pela doença, fisioterapia respiratória e exercícios físicos regularmente”, relata a mãe. Hoje, aos 12 anos, Davi, já passou por algumas infecções pulmonares e uma internação.

Apesar de morar com a família em Santa Bárbara do Leste, ele e os pais continuam indo ao HIJPII a cada dois meses para as consultas de rotina, que envolvem vários profissionais diferentes e uma série de exames. “Gosto muito de todos aqui. O atendimento é perfeito, nunca me faltou nada”, afirma o jovem.

Para a mãe, ir ao hospital já faz parte da rotina. “Tentamos encarar com leveza e gratidão pela oportunidade de receber o tratamento. Estamos muito satisfeitos com o atendimento da equipe do Hospital Infantil João Paulo II”, conclui Célia. Atendimento No Hospital infantil João Paulo II, as crianças até 2 anos recebem atendimento nas manhãs de quartas-feiras e as de 2 a 12 anos às terças e quintas à tarde.

Qual o exame que detecta a fibrose pulmonar?

Quais exames são necessários para o diagnóstico precoce? – Se você suspeitar que possui essa doença, procure um médico imediatamente. O diagnóstico precoce, como já mencionado, é importante para iniciar o tratamento adequado e evitar a progressão da doença.

Dito isso, o diagnóstico de fibrose pulmonar pode ser dado através de um exame de imagem, como a tomografia computadorizada de tórax, em conjunto com quadro clínico do paciente. Entretanto, existem ainda exames auxiliares que ajudam a confirmar o diagnóstico, bem como avaliar a gravidade. É o caso, por exemplo, da prova de função pulmonar.

Em alguns casos, a biópsia pulmonar também pode ser necessária. Por isso, é importante consultar um médico para que cada paciente seja avaliado individualmente. Assim, é possível determinar a melhor estratégia diagnóstica.

É possível reverter fibrose?

Prevenção – Ao contrário da cirrose, a fibrose hepática é reversível, desde que se consiga interromper a agressão que a está a estimular. Essa regressão, contudo, pode demorar anos. O risco de desenvolvimento de cancro do fígado na cirrose hepática é de cerca de 1% a 4% por ano.

Este apresenta uma elevada mortalidade se for diagnosticado tardiamente, razão pela qual todos os doentes com cirrose devem fazer uma ecografia abdominal de seis em seis meses, para que o tumor seja identificado ainda com pequenas dimensões. Neste caso, existem alguns tratamentos com eficácia, como o transplante hepático, a remoção cirúrgica, a radiofrequência ou a quimioembolização.

A proteção do fígado é importante para evitar doenças que o possam agredir e desencadear o processo de fibrose hepática. Nesse sentido, é importante não consumir bebidas alcoólicas em excesso (mais do que duas a três no homem e uma a duas na mulher, por dia), não consumir álcool antes dos 18 anos, fazer a vacina contra a hepatite B, não partilhar seringas ou qualquer material usado no consumo de drogas injetadas, não partilhar o material usado para inalar drogas (previne a hepatite C), usar preservativo no caso de múltiplos parceiros ou relações sexuais de risco (evita a hepatite B e C) e combater o excesso de peso.

Como começa fibrose pulmonar?

O que é fibrose pulmonar? – O pulmão é um órgão flexível, que precisa ter a capacidade de se expandir e de se encolher para poder permitir o processo de respiração. Quando o pulmão do indivíduo, por algum motivo, fica com cicatrizes em seu tecido ou passa a ser mais endurecido, o paciente é diagnosticado com a fibrose pulmonar.

A fibrose pulmonar pode acontecer, por exemplo, devido a inalação de substâncias que fazem mal para o corpo, como o mofo, a poeira, o feno e madeira velha. Essas substâncias acabam não sendo filtradas pelo nariz e podem fazer com que ele venha a desenvolver a Doença Intersticial Pulmonar, resultando na fibrose pulmonar.

Em outros casos, a fibrose pulmonar surge também como consequência de outras condições, como o lúpus e a artrite reumatoide. Existem ainda pacientes com fibrose pulmonar cuja causa não pode ser exatamente detectada.

See also:  Quanto Rende A Caixinha Do Nubank?

É normal ter fibrose?

O que você precisa saber sobre fibrose É muito importante que quem quer fazer uma pesquise bastante sobre o procedimento e converse com franqueza com o cirurgião sobre as possíveis complicações e resultados da cirurgia. O surgimento da fibrose, por exemplo, uma espécie de cicatriz interna no local onde foi feita a incisão pode acarretar dores e deformidades.

Qual é a saturação de uma pessoa com fibrose pulmonar?

Na fibrose pulmonar, a saturação do oxigénio é inferior a 95% e agrava-se com o exercício e com a evolução da doença.

Quanto tempo a fibrose desaparece?

Fibrose na Cirurgia Plástica Você já ouviu falar de Fibrose ou sabe qual sua relação com as cirurgias plásticas? A Fibrose é uma cicatriz interna formada através de um tecido conjuntivo fibroso em resposta a um ferimento ou dano, reparando a área afetada.

Quanto tempo para curar fibrose?

Normalmente, as fibroses diminuem de forma natural com o passar do tempo, após 60 ou 90 dias. As formas de tratamento variam de acordo com alguns fatores, como o tempo de ocorrência.

Qual é a melhor alimentação para quem tem fibrose pulmonar?

Sugestões simples para ajudar a melhorar a sua nutrição 5,6 – As dicas abaixo podem ajudá-lo, na sua vida quotidiana, a prevenir a perda de peso, deficiências nutricionais ou problemas digestivos:

Se tiver dificuldade em comer refeições maiores, tente comer seis a oito refeições mais pequenas que tenham um elevado teor de calorias e nutrientes; Se planear estar ativo durante mais de duas horas, leve muitos snacks consigo: fruta, frutos secos ou sanduíches são boas escolhas práticas; Beba dois a três litros de água por dia; Certifique-se de que come alimentos ricos em proteína em quantidade suficiente. A carne e os laticínios, como o iogurte e o queijo, têm muita proteína para ajudar a fortalecer a sua saúde. Os alimentos ricos em proteína devem ser incluídos na sua dieta, várias vezes por dia; Tente manter uma reserva de alimentos congelados, snacks e outros produtos não perecíveis. Dessa forma, poderá preparar uma refeição de forma fácil e rápida sempre que precisar; Se tiver diarreia, evite alimentos azedos e picantes e alimentos ricos em açúcar e gordura; Tente evitar bebidas açucaradas, como refrigerantes e sumo de fruta; Para evitar a perda de peso, coma mais alimentos ricos em gordura (como queijos), iogurtes ou bebidas ricas em calorias (como sumo de fruta fresca ou bebidas à base de iogurte).

Dá para viver com a fibrose pulmonar?

A fibrose pulmonar é uma doença que causa tosse seca, falta de ar, cansaço, perda de peso sem motivo aparente e outros sintomas que prejudicam a saúde dos pacientes, é possível viver com esse problema. Muitos pacientes conseguem ter uma qualidade de vida melhor, mesmo após apresentar os sintomas e chegarem ao diagnóstico de fibrose pulmonar.

O que piora a fibrose pulmonar?

Quais são as causas da fibrose pulmonar? – Como dito anteriormente, a doença é resultado de diversas formas de agressão aos pulmões, que com o passar do tempo leva a sua fibrose. Isso pode ocorrer por conta dos mais diferentes fatores. Entre eles a exposição a toxinas nocivas, algumas condições médicas, medicamentos e até mesmo tratamentos, como a radioterapia.

o quanto o pulmão foi exposto a radiação ;ou se existe alguma outra doença pulmonar associada.

Outro fator que pode ocasionar na doença é o uso de algumas medicações. Um exemplo, são medicamentos utilizados para quimioterapia, antibióticos, remédios para o coração e até mesmo anti-inflamatórios. A fibrose pulmonar também pode surgir por meio de outras condições médicas. Ou seja, esse dano nos pulmões pode vir associado a doenças como:

Lupus eritematoso sistémico;Dermatomiosite;Esclerodermia;Polimiosite;Sarcoidose;Entre outras.

O que fazer para evitar fibrose pulmonar?

Para evitar que a doença avance e seus sintomas limitem ações simples do dia a dia, é preciso buscar ajuda de um pneumologista para que, após o diagnóstico, ele recomende a terapia mais adequada.

Tem como evitar fibrose?

Não é possível evitar ‘fibrose fisiológica’ (cicatrização da região operada), o que é possível de ser evitado são as fibroses em excesso, desorganizadas e irregulares.

Como é a dor da fibrose pulmonar?

Como saber se estou com fibrose? Quais são os sintomas? – Os sintomas das fibroses pulmonares incluem tosse seca, falta de ar que pode ser leve ou grave. Em caso de doenças avançadas, podem haver outros sintomas, como dores torácicas, falta de ar para tomar banho e sinais de oxigenação baixa no sangue, que inclui lábios e pontas dos dedos arroxeados.

Qual é a melhor alimentação para quem tem fibrose pulmonar?

Sugestões simples para ajudar a melhorar a sua nutrição 5,6 – As dicas abaixo podem ajudá-lo, na sua vida quotidiana, a prevenir a perda de peso, deficiências nutricionais ou problemas digestivos:

Se tiver dificuldade em comer refeições maiores, tente comer seis a oito refeições mais pequenas que tenham um elevado teor de calorias e nutrientes; Se planear estar ativo durante mais de duas horas, leve muitos snacks consigo: fruta, frutos secos ou sanduíches são boas escolhas práticas; Beba dois a três litros de água por dia; Certifique-se de que come alimentos ricos em proteína em quantidade suficiente. A carne e os laticínios, como o iogurte e o queijo, têm muita proteína para ajudar a fortalecer a sua saúde. Os alimentos ricos em proteína devem ser incluídos na sua dieta, várias vezes por dia; Tente manter uma reserva de alimentos congelados, snacks e outros produtos não perecíveis. Dessa forma, poderá preparar uma refeição de forma fácil e rápida sempre que precisar; Se tiver diarreia, evite alimentos azedos e picantes e alimentos ricos em açúcar e gordura; Tente evitar bebidas açucaradas, como refrigerantes e sumo de fruta; Para evitar a perda de peso, coma mais alimentos ricos em gordura (como queijos), iogurtes ou bebidas ricas em calorias (como sumo de fruta fresca ou bebidas à base de iogurte).