O Que Gravidez EctóPica?

O que leva a ter uma gravidez ectópica?

Gravidez ectópica: Uma gravidez deslocada – Normalmente, um óvulo é fertilizado na trompa de Falópio (tuba uterina) e se implanta no útero. No entanto, se a trompa estiver estreitada ou bloqueada, o óvulo pode mover‑se lentamente ou ficar preso. O óvulo fertilizado pode nunca atingir o útero, resultando em uma gravidez ectópica.

Uma gravidez ectópica pode estar localizada em diversos lugares, como na trompa de Falópio, no ovário, colo do útero e abdômen. Os sintomas de gravidez ectópica variam e talvez não ocorram antes de ocorrer o rompimento da estrutura que contém a gravidez ectópica. A maioria das mulheres apresenta sangramento vaginal e/ou dor, que pode ser surda, em pontada ou na forma de cólica na parte inferior do abdômen.

A menstruação pode ou não estar atrasada ou ausente. Algumas mulheres não suspeitam que estão grávidas. Quando a estrutura se rompe, a mulher normalmente sente uma dor súbita, forte e constante na parte inferior do abdômen. Se a mulher tiver uma perda significativa de sangue, ela pode desmaiar, transpirar ou ter tontura.

Esses sintomas podem indicar que ela perdeu muito sangue e que ela apresenta uma queda perigosa da pressão arterial ( choque Choque O choque é um quadro clínico com risco à vida, em que o fluxo sanguíneo é baixo, diminuindo o fornecimento de oxigênio e causando danos a esses órgãos e, às vezes, morte.

A pressão arterial. leia mais ). É possível que ela apresente peritonite Peritonite A dor abdominal é comum e, geralmente, pouco importante. Dores abdominais graves que surgem rapidamente, porém, quase sempre indicam um problema significativo. A dor pode ser o único sinal da.

Exame de gravidez Ultrassonografia Exames de sangue Laparoscopia (às vezes)

O médico suspeita de uma gravidez ectópica em mulheres que estão em idade fértil e que apresentam dor abdominal inferior ou sangramento vaginal, desmaiam ou entram em choque. Um exame de gravidez é feito nessas mulheres. Uma vez que a ruptura de uma gravidez ectópica causa sangramento e aumenta o risco de morte na mulher, o diagnóstico imediato é essencial.

  1. Se o exame de gravidez for positivo ou, em casos raros, se o exame de gravidez for negativo, mas os sintomas continuam a sugerir uma gravidez ectópica, é realizada uma ultrassonografia com um aparelho portátil que é inserido na vagina (um procedimento denominado ultrassonografia transvaginal).
  2. Se a ultrassonografia detecta um feto em um local diferente do seu lugar habitual no útero, o diagnóstico é confirmado.

Se a ultrassonografia não detectar um feto em nenhum lugar, a gravidez ectópica ainda é possível ou a gravidez pode ser no útero, mas pode ser tão recente que não é visualizada. O médico também faz exames de sangue para medir um hormônio produzido pela placenta no início da gravidez, denominado gonadotrofina coriônica humana (hCG).

  • Esse exame pode ajudar o médico a determinar se a gravidez é muito precoce para o feto ser visível no útero ou se é uma gravidez ectópica.
  • Se for necessário confirmar o diagnóstico, é possível que o médico use um tubo com feixes de fibra ótica, denominado laparoscópio, inserido através de uma pequena incisão logo abaixo do umbigo.

Esse procedimento os permite visualizar uma gravidez ectópica diretamente. Se os exames não confirmarem o diagnóstico de gravidez ectópica e a mulher não tiver problemas sérios, os níveis de hCG no sangue são medidos periodicamente. Esses níveis geralmente aumentam com bastante rapidez.

Geralmente, metotrexato para gestações ectópicas pequenas e sem ruptura Cirurgia Às vezes, o medicamento metotrexato

Uma gravidez ectópica deve ser terminada assim que possível para salvar a vida da mulher. No caso de uma gravidez ectópica de pequeno porte, em que não houve ruptura, uma dose do medicamento metotrexato, administrada por injeção, pode geralmente ser utilizada em vez de cirurgia.

O medicamento provoca a diminuição e o desaparecimento da gravidez ectópica. Após a administração do medicamento, o médico faz exames de sangue para medir os níveis de hCG toda semana para determinar se o tratamento com metotrexato foi bem-sucedido. Se a hCG não puder ser detectada, o tratamento é considerado bem-sucedido.

Se o tratamento com metotrexato não foi bem-sucedido, é necessária uma segunda dose de metotrexato ou cirurgia. O feto e a placenta são removidos cirurgicamente se o médico suspeitar que houve ruptura de uma gravidez ectópica ou se o tratamento com metotrexato não for indicado, como, por exemplo, se os resultados dos exames de sangue da mulher estiverem alterados.

  • Se a mulher estiver tendo problemas sérios (por exemplo, sangramento ou choque), o médico remove imediatamente a gravidez ectópica por meio de uma incisão no abdômen (laparotomia).
  • Durante a cirurgia, o médico remove o feto e a placenta e apenas a parte da trompa de Falópio que não pode ser consertada.

Essa abordagem aumenta a chance de que o conserto da trompa de Falópio permitirá que a mulher engravide. Contudo, há ocasiões em que não é possível consertar a trompa. Raramente, o útero está tão danificado que torna necessária uma histerectomia. OBS.: Esta é a versão para o consumidor. Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

O que acontece quando a gravidez é ectópica?

Autora: Dra. Adriana Bittencourt Campaner – Ginecologista A gravidez ectópica ocorre quando o embrião se fixa e começa a se desenvolver fora da cavidade uterina, podendo causar grandes complicações. É uma condição pouco frequente, ocorrendo em cerca de 2% das gestações.

Quantas semanas dura uma gravidez ectópica?

Quanto tempo de duração tem uma gravidez ectópica? – Em geral, a gravidez ectópica dura, no máximo, nove semanas, pois, depois disso, o embrião e o saco gestacional ficam grandes demais para continuar se desenvolvendo na trompa e, se não houver tratamento, costumam rompê-la.

  • Sim, as causas são variáveis.
  • Segundo Geraldo Caldeira, membro da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO); da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH) e médico do Serviço de Reprodução Humana do Hospital e Maternidade Santa Joana, em São Paulo, explica que uma das principais causas está relacionada à uma doença inflamatória pélvica — uma bactéria vaginal — chamada salpingite,

“Ela causa um processo inflamatório nas trompas, destruindo o ‘aspiradorzinho’ dos embriões. Com isso, eles não conseguem mover-se para o útero. Então, toda paciente que teve a doença, tem grande chances de ter uma gravidez ectópica.”, diz. Apesar de rara, algumas condições tornam a mulher mais predisposta a isso.

Um exemplo é a tortuosidade da tuba – aderências e estreitamentos nesses canais, o que pode fazer com que o embrião fique preso. Outros fatores são cicatrizes tubárias, que podem surgir depois de uma cirurgia na região e também aumentam o risco de gravidez ectópica”, explica o ginecologista e obstetra Domingos Mantelli.

Mulheres com histórico de infecção no útero ou nas trompas também têm mais chances de desenvolver o problema. A idade da gestante, porém, não é fator de risco para a gravidez ectópica,

Quando começam os sintomas de gravidez ectópica?

Sinais e Sintomas de Gravidez Ectópica – Os sintomas de uma gravidez ectópica podem se assemelhar com os sinais do primeiro trimestre de uma gravidez normal e algumas mulheres não sentem nenhum dos sintomas. No entanto, se desenvolver algum, você provavelmente notará os sinais de gravidez ectópica entre a 4a e a 12a semanas de gravidez,

  • Dor aguda que surge e desaparece e pode variar em intensidade. A dor da gravidez ectópica pode ser sentida na pelve, no abdômen, ou até nos ombros e pescoço,
  • Irregularidade menstrual, por exemplo, sangramento que pode ser mais intenso ou mais leve do que na menstruação normal. Lembre-se de que o sangramento no início da gravidez também pode ser sangramento da nidação, portanto, fale com seu médico.
  • Desconforto ao urinar ou defecar.
  • Fraqueza, tontura ou desmaios.

Esses sintomas podem surgir desde o início da gravidez, mesmo antes de você saber que está grávida ou ter feito um teste com resultado positivo, Em alguns casos, os sinais de uma gestação ectópica poderão ser reconhecidos por seu médico durante o primeiro ultrassom.

É possível salvar uma gravidez ectópica?

Gravidez ectópica: Uma gravidez deslocada – Normalmente, um óvulo é fertilizado na trompa de Falópio (tuba uterina) e se implanta no útero. No entanto, se a trompa estiver estreitada ou bloqueada, o óvulo pode mover‑se lentamente ou ficar preso. O óvulo fertilizado pode nunca atingir o útero, resultando em uma gravidez ectópica.

  • Uma gravidez ectópica pode estar localizada em diversos lugares, como na trompa de Falópio, no ovário, colo do útero e abdômen.
  • Os sintomas de gravidez ectópica variam e talvez não ocorram antes de ocorrer o rompimento da estrutura que contém a gravidez ectópica.
  • A maioria das mulheres apresenta sangramento vaginal e/ou dor, que pode ser surda, em pontada ou na forma de cólica na parte inferior do abdômen.

A menstruação pode ou não estar atrasada ou ausente. Algumas mulheres não suspeitam que estão grávidas. Quando a estrutura se rompe, a mulher normalmente sente uma dor súbita, forte e constante na parte inferior do abdômen. Se a mulher tiver uma perda significativa de sangue, ela pode desmaiar, transpirar ou ter tontura.

Esses sintomas podem indicar que ela perdeu muito sangue e que ela apresenta uma queda perigosa da pressão arterial ( choque Choque O choque é um quadro clínico com risco à vida, em que o fluxo sanguíneo é baixo, diminuindo o fornecimento de oxigênio e causando danos a esses órgãos e, às vezes, morte.

A pressão arterial. leia mais ). É possível que ela apresente peritonite Peritonite A dor abdominal é comum e, geralmente, pouco importante. Dores abdominais graves que surgem rapidamente, porém, quase sempre indicam um problema significativo. A dor pode ser o único sinal da.

Exame de gravidez Ultrassonografia Exames de sangue Laparoscopia (às vezes)

O médico suspeita de uma gravidez ectópica em mulheres que estão em idade fértil e que apresentam dor abdominal inferior ou sangramento vaginal, desmaiam ou entram em choque. Um exame de gravidez é feito nessas mulheres. Uma vez que a ruptura de uma gravidez ectópica causa sangramento e aumenta o risco de morte na mulher, o diagnóstico imediato é essencial.

Se o exame de gravidez for positivo ou, em casos raros, se o exame de gravidez for negativo, mas os sintomas continuam a sugerir uma gravidez ectópica, é realizada uma ultrassonografia com um aparelho portátil que é inserido na vagina (um procedimento denominado ultrassonografia transvaginal). Se a ultrassonografia detecta um feto em um local diferente do seu lugar habitual no útero, o diagnóstico é confirmado.

Se a ultrassonografia não detectar um feto em nenhum lugar, a gravidez ectópica ainda é possível ou a gravidez pode ser no útero, mas pode ser tão recente que não é visualizada. O médico também faz exames de sangue para medir um hormônio produzido pela placenta no início da gravidez, denominado gonadotrofina coriônica humana (hCG).

  • Esse exame pode ajudar o médico a determinar se a gravidez é muito precoce para o feto ser visível no útero ou se é uma gravidez ectópica.
  • Se for necessário confirmar o diagnóstico, é possível que o médico use um tubo com feixes de fibra ótica, denominado laparoscópio, inserido através de uma pequena incisão logo abaixo do umbigo.
See also:  Qual Banco Rende Mais Cdi 2022?

Esse procedimento os permite visualizar uma gravidez ectópica diretamente. Se os exames não confirmarem o diagnóstico de gravidez ectópica e a mulher não tiver problemas sérios, os níveis de hCG no sangue são medidos periodicamente. Esses níveis geralmente aumentam com bastante rapidez.

Geralmente, metotrexato para gestações ectópicas pequenas e sem ruptura Cirurgia Às vezes, o medicamento metotrexato

Uma gravidez ectópica deve ser terminada assim que possível para salvar a vida da mulher. No caso de uma gravidez ectópica de pequeno porte, em que não houve ruptura, uma dose do medicamento metotrexato, administrada por injeção, pode geralmente ser utilizada em vez de cirurgia.

  1. O medicamento provoca a diminuição e o desaparecimento da gravidez ectópica.
  2. Após a administração do medicamento, o médico faz exames de sangue para medir os níveis de hCG toda semana para determinar se o tratamento com metotrexato foi bem-sucedido.
  3. Se a hCG não puder ser detectada, o tratamento é considerado bem-sucedido.

Se o tratamento com metotrexato não foi bem-sucedido, é necessária uma segunda dose de metotrexato ou cirurgia. O feto e a placenta são removidos cirurgicamente se o médico suspeitar que houve ruptura de uma gravidez ectópica ou se o tratamento com metotrexato não for indicado, como, por exemplo, se os resultados dos exames de sangue da mulher estiverem alterados.

  • Se a mulher estiver tendo problemas sérios (por exemplo, sangramento ou choque), o médico remove imediatamente a gravidez ectópica por meio de uma incisão no abdômen (laparotomia).
  • Durante a cirurgia, o médico remove o feto e a placenta e apenas a parte da trompa de Falópio que não pode ser consertada.

Essa abordagem aumenta a chance de que o conserto da trompa de Falópio permitirá que a mulher engravide. Contudo, há ocasiões em que não é possível consertar a trompa. Raramente, o útero está tão danificado que torna necessária uma histerectomia. OBS.: Esta é a versão para o consumidor. Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Quem tem chance de ter gravidez ectópica?

Amy AlspaughThe Conversation*

26 junho 2022 Crédito, Getty Images Uma gravidez ectópica acontece quando o óvulo fecundado se desenvolve fora do útero. Isso ocorre em cerca de 2% das gestações. Como enfermeira obstétrica e pesquisadora de saúde reprodutiva, acho fundamental entender esta complicação relativamente comum na gravidez.

Normalmente, o óvulo e o espermatozoide se encontram e se combinam dentro de uma das tubas uterinas. O óvulo fecundado se desloca então pela tuba até o útero, onde se implanta no revestimento uterino e cresce. Mas, às vezes, o óvulo fecundado não chega ao útero, implantando-se na tuba — ou pode acabar também em um ovário, no colo do útero ou até no abdômen.

Foram registrados casos ainda de óvulos fecundados implantados em cicatrizes de cesarianas anteriores ou outras cirurgias. Mas mais de 90% das gestações ectópicas são tubárias. Levar uma gravidez tubária até o fim é quase impossível, porque um óvulo fecundado não sobreviverá por muito tempo preso a locais fora do útero.

  1. Outras estruturas do corpo simplesmente não são capazes de proteger ou nutrir um embrião.
  2. As mulheres com maior risco de gravidez ectópica são aquelas que já tiveram uma antes.
  3. A probabilidade também é maior naquelas com infecções pélvicas ou cirurgias uterinas prévias.
  4. A fertilização in vitro também aumenta o risco.

Metade das gestações ectópicas, no entanto, ocorre em mulheres sem nenhum fator de risco.

Onde é a dor da gravidez ectópica?

Perguntas frequentes sobre gravidez tubária ectópica – Quais os principais sintomas da gravidez tubária? Os sintomas variam. Em geral, os sintomas típicos se instalam entre a sexta e a oitava semana de gestação. A queixa mais frequente, nessa fase, é a dor pélvica leve acompanhada ou não de sangramento vaginal.

  1. Com a evolução do quadro, a dor vai aumentando de intensidade, toma todo o abdômen e pode estender-se até os ombros e o pescoço.
  2. Quando o quadro se agrava, podem surgir dor aguda e inchaço no abdômen, sangramento vaginal mais intenso, hipotensão arterial e desmaio.
  3. O que é gravidez tubária rota? Quando a gravidez tubária evolui, pode haver rotura da tuba (gravidez ectópica rota), causando dor abdominal intensa, e sinais de peritonite (inflamação do peritônio, membrana que recobre os órgãos intra-abdominais).

Além disso, podem surgir sangramento vaginal intenso, hipotensão arterial e desmaio e a paciente pode correr risco de vida, necessitando de atendimento médico urgente. *Revisado por Dr. Donizetti Ramos dos Santos, cirurgião oncológico do Hospital Sírio-Libanês.

Como tirar uma gravidez ectópica?

Qual o tratamento para a gravidez ectópica? – Gravidez ectópica tem cura. Em geral, o tratamento para a gravidez ectópica envolve uma cirurgia de laparoscopia, para retirar a placenta e o feto. Esse procedimento normalmente não afeta o útero da mulher.

É possível levar uma gravidez ectópica até o fim?

Amy AlspaughThe Conversation*

26 junho 2022 Crédito, Getty Images Uma gravidez ectópica acontece quando o óvulo fecundado se desenvolve fora do útero. Isso ocorre em cerca de 2% das gestações. Como enfermeira obstétrica e pesquisadora de saúde reprodutiva, acho fundamental entender esta complicação relativamente comum na gravidez.

  • Normalmente, o óvulo e o espermatozoide se encontram e se combinam dentro de uma das tubas uterinas.
  • O óvulo fecundado se desloca então pela tuba até o útero, onde se implanta no revestimento uterino e cresce.
  • Mas, às vezes, o óvulo fecundado não chega ao útero, implantando-se na tuba — ou pode acabar também em um ovário, no colo do útero ou até no abdômen.

Foram registrados casos ainda de óvulos fecundados implantados em cicatrizes de cesarianas anteriores ou outras cirurgias. Mas mais de 90% das gestações ectópicas são tubárias. Levar uma gravidez tubária até o fim é quase impossível, porque um óvulo fecundado não sobreviverá por muito tempo preso a locais fora do útero.

Outras estruturas do corpo simplesmente não são capazes de proteger ou nutrir um embrião. As mulheres com maior risco de gravidez ectópica são aquelas que já tiveram uma antes. A probabilidade também é maior naquelas com infecções pélvicas ou cirurgias uterinas prévias. A fertilização in vitro também aumenta o risco.

Metade das gestações ectópicas, no entanto, ocorre em mulheres sem nenhum fator de risco.

O que é maior risco de gravidez ectópica?

Amy AlspaughThe Conversation*

26 junho 2022 Crédito, Getty Images Uma gravidez ectópica acontece quando o óvulo fecundado se desenvolve fora do útero. Isso ocorre em cerca de 2% das gestações. Como enfermeira obstétrica e pesquisadora de saúde reprodutiva, acho fundamental entender esta complicação relativamente comum na gravidez.

  • Normalmente, o óvulo e o espermatozoide se encontram e se combinam dentro de uma das tubas uterinas.
  • O óvulo fecundado se desloca então pela tuba até o útero, onde se implanta no revestimento uterino e cresce.
  • Mas, às vezes, o óvulo fecundado não chega ao útero, implantando-se na tuba — ou pode acabar também em um ovário, no colo do útero ou até no abdômen.

Foram registrados casos ainda de óvulos fecundados implantados em cicatrizes de cesarianas anteriores ou outras cirurgias. Mas mais de 90% das gestações ectópicas são tubárias. Levar uma gravidez tubária até o fim é quase impossível, porque um óvulo fecundado não sobreviverá por muito tempo preso a locais fora do útero.

  1. Outras estruturas do corpo simplesmente não são capazes de proteger ou nutrir um embrião.
  2. As mulheres com maior risco de gravidez ectópica são aquelas que já tiveram uma antes.
  3. A probabilidade também é maior naquelas com infecções pélvicas ou cirurgias uterinas prévias.
  4. A fertilização in vitro também aumenta o risco.

Metade das gestações ectópicas, no entanto, ocorre em mulheres sem nenhum fator de risco.

Tem possibilidade de estar grávida e não aparece no ultrassom?

O que fazer se o embrião não aparecer no ultrassom – Se o embrião não aparecer na imagem do ultrassom, é importante consultar seu médico para entender as causas desse resultado e descartar possíveis problemas. O médico pode solicitar exames adicionais para obter um diagnóstico mais preciso.

Qual exame detecta gravidez nas trompas?

Qual exame detecta gravidez Ectópica? – No surgimento de sintomas, o médico deve ser procurado para uma avaliação precisa e a indicação do tratamento adequado. Para detectar se o embrião está em desenvolvimento fora do útero, é realizada uma ultrassonografia depois de feito o exame Beta HCG, que pode dar positivo ou não.

Como ter certeza da gravidez ectópica?

Gravidez ectópica: diagnóstico – Na maioria dos casos, esse tipo de gestação pode ser detectado a partir de um exame pélvico, além de exames de sangue e ultrassonografia, Às vezes, a laparoscopia (um procedimento cirúrgico) pode ser usada para procurar uma gravidez ectópica,

Qual Exame de sangue detecta gravidez ectópica?

Gravidez ectópica: Uma gravidez deslocada – Normalmente, um óvulo é fertilizado na trompa de Falópio (tuba uterina) e se implanta no útero. No entanto, se a trompa estiver estreitada ou bloqueada, o óvulo pode mover‑se lentamente ou ficar preso. O óvulo fertilizado pode nunca atingir o útero, resultando em uma gravidez ectópica.

  • Uma gravidez ectópica pode estar localizada em diversos lugares, como na trompa de Falópio, no ovário, colo do útero e abdômen.
  • Os sintomas de gravidez ectópica variam e talvez não ocorram antes de ocorrer o rompimento da estrutura que contém a gravidez ectópica.
  • A maioria das mulheres apresenta sangramento vaginal e/ou dor, que pode ser surda, em pontada ou na forma de cólica na parte inferior do abdômen.

A menstruação pode ou não estar atrasada ou ausente. Algumas mulheres não suspeitam que estão grávidas. Quando a estrutura se rompe, a mulher normalmente sente uma dor súbita, forte e constante na parte inferior do abdômen. Se a mulher tiver uma perda significativa de sangue, ela pode desmaiar, transpirar ou ter tontura.

Esses sintomas podem indicar que ela perdeu muito sangue e que ela apresenta uma queda perigosa da pressão arterial ( choque Choque O choque é um quadro clínico com risco à vida, em que o fluxo sanguíneo é baixo, diminuindo o fornecimento de oxigênio e causando danos a esses órgãos e, às vezes, morte.

See also:  Quem Foi Para O ParedO?

A pressão arterial. leia mais ). É possível que ela apresente peritonite Peritonite A dor abdominal é comum e, geralmente, pouco importante. Dores abdominais graves que surgem rapidamente, porém, quase sempre indicam um problema significativo. A dor pode ser o único sinal da.

Exame de gravidez Ultrassonografia Exames de sangue Laparoscopia (às vezes)

O médico suspeita de uma gravidez ectópica em mulheres que estão em idade fértil e que apresentam dor abdominal inferior ou sangramento vaginal, desmaiam ou entram em choque. Um exame de gravidez é feito nessas mulheres. Uma vez que a ruptura de uma gravidez ectópica causa sangramento e aumenta o risco de morte na mulher, o diagnóstico imediato é essencial.

Se o exame de gravidez for positivo ou, em casos raros, se o exame de gravidez for negativo, mas os sintomas continuam a sugerir uma gravidez ectópica, é realizada uma ultrassonografia com um aparelho portátil que é inserido na vagina (um procedimento denominado ultrassonografia transvaginal). Se a ultrassonografia detecta um feto em um local diferente do seu lugar habitual no útero, o diagnóstico é confirmado.

Se a ultrassonografia não detectar um feto em nenhum lugar, a gravidez ectópica ainda é possível ou a gravidez pode ser no útero, mas pode ser tão recente que não é visualizada. O médico também faz exames de sangue para medir um hormônio produzido pela placenta no início da gravidez, denominado gonadotrofina coriônica humana (hCG).

  1. Esse exame pode ajudar o médico a determinar se a gravidez é muito precoce para o feto ser visível no útero ou se é uma gravidez ectópica.
  2. Se for necessário confirmar o diagnóstico, é possível que o médico use um tubo com feixes de fibra ótica, denominado laparoscópio, inserido através de uma pequena incisão logo abaixo do umbigo.

Esse procedimento os permite visualizar uma gravidez ectópica diretamente. Se os exames não confirmarem o diagnóstico de gravidez ectópica e a mulher não tiver problemas sérios, os níveis de hCG no sangue são medidos periodicamente. Esses níveis geralmente aumentam com bastante rapidez.

Geralmente, metotrexato para gestações ectópicas pequenas e sem ruptura Cirurgia Às vezes, o medicamento metotrexato

Uma gravidez ectópica deve ser terminada assim que possível para salvar a vida da mulher. No caso de uma gravidez ectópica de pequeno porte, em que não houve ruptura, uma dose do medicamento metotrexato, administrada por injeção, pode geralmente ser utilizada em vez de cirurgia.

O medicamento provoca a diminuição e o desaparecimento da gravidez ectópica. Após a administração do medicamento, o médico faz exames de sangue para medir os níveis de hCG toda semana para determinar se o tratamento com metotrexato foi bem-sucedido. Se a hCG não puder ser detectada, o tratamento é considerado bem-sucedido.

Se o tratamento com metotrexato não foi bem-sucedido, é necessária uma segunda dose de metotrexato ou cirurgia. O feto e a placenta são removidos cirurgicamente se o médico suspeitar que houve ruptura de uma gravidez ectópica ou se o tratamento com metotrexato não for indicado, como, por exemplo, se os resultados dos exames de sangue da mulher estiverem alterados.

  • Se a mulher estiver tendo problemas sérios (por exemplo, sangramento ou choque), o médico remove imediatamente a gravidez ectópica por meio de uma incisão no abdômen (laparotomia).
  • Durante a cirurgia, o médico remove o feto e a placenta e apenas a parte da trompa de Falópio que não pode ser consertada.

Essa abordagem aumenta a chance de que o conserto da trompa de Falópio permitirá que a mulher engravide. Contudo, há ocasiões em que não é possível consertar a trompa. Raramente, o útero está tão danificado que torna necessária uma histerectomia. OBS.: Esta é a versão para o consumidor. Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

O que acontece quando o bebê é gerado fora do útero?

Tratamentos – O embrião pode causar a destruição dos órgãos, então, em determinados casos, o tratamento é remover a trompa ou o ovário. Quando é uma gravidez abdominal, dependendo do tempo que se descobre, há chances de o parto ser feito antecipadamente.

Quem tem gravidez ectópica menstrua?

Gravidez ectópica: Uma gravidez deslocada – Normalmente, um óvulo é fertilizado na trompa de Falópio (tuba uterina) e se implanta no útero. No entanto, se a trompa estiver estreitada ou bloqueada, o óvulo pode mover‑se lentamente ou ficar preso. O óvulo fertilizado pode nunca atingir o útero, resultando em uma gravidez ectópica.

Uma gravidez ectópica pode estar localizada em diversos lugares, como na trompa de Falópio, no ovário, colo do útero e abdômen. Os sintomas de gravidez ectópica variam e talvez não ocorram antes de ocorrer o rompimento da estrutura que contém a gravidez ectópica. A maioria das mulheres apresenta sangramento vaginal e/ou dor, que pode ser surda, em pontada ou na forma de cólica na parte inferior do abdômen.

A menstruação pode ou não estar atrasada ou ausente. Algumas mulheres não suspeitam que estão grávidas. Quando a estrutura se rompe, a mulher normalmente sente uma dor súbita, forte e constante na parte inferior do abdômen. Se a mulher tiver uma perda significativa de sangue, ela pode desmaiar, transpirar ou ter tontura.

Esses sintomas podem indicar que ela perdeu muito sangue e que ela apresenta uma queda perigosa da pressão arterial ( choque Choque O choque é um quadro clínico com risco à vida, em que o fluxo sanguíneo é baixo, diminuindo o fornecimento de oxigênio e causando danos a esses órgãos e, às vezes, morte.

A pressão arterial. leia mais ). É possível que ela apresente peritonite Peritonite A dor abdominal é comum e, geralmente, pouco importante. Dores abdominais graves que surgem rapidamente, porém, quase sempre indicam um problema significativo. A dor pode ser o único sinal da.

Exame de gravidez Ultrassonografia Exames de sangue Laparoscopia (às vezes)

O médico suspeita de uma gravidez ectópica em mulheres que estão em idade fértil e que apresentam dor abdominal inferior ou sangramento vaginal, desmaiam ou entram em choque. Um exame de gravidez é feito nessas mulheres. Uma vez que a ruptura de uma gravidez ectópica causa sangramento e aumenta o risco de morte na mulher, o diagnóstico imediato é essencial.

Se o exame de gravidez for positivo ou, em casos raros, se o exame de gravidez for negativo, mas os sintomas continuam a sugerir uma gravidez ectópica, é realizada uma ultrassonografia com um aparelho portátil que é inserido na vagina (um procedimento denominado ultrassonografia transvaginal). Se a ultrassonografia detecta um feto em um local diferente do seu lugar habitual no útero, o diagnóstico é confirmado.

Se a ultrassonografia não detectar um feto em nenhum lugar, a gravidez ectópica ainda é possível ou a gravidez pode ser no útero, mas pode ser tão recente que não é visualizada. O médico também faz exames de sangue para medir um hormônio produzido pela placenta no início da gravidez, denominado gonadotrofina coriônica humana (hCG).

Esse exame pode ajudar o médico a determinar se a gravidez é muito precoce para o feto ser visível no útero ou se é uma gravidez ectópica. Se for necessário confirmar o diagnóstico, é possível que o médico use um tubo com feixes de fibra ótica, denominado laparoscópio, inserido através de uma pequena incisão logo abaixo do umbigo.

Esse procedimento os permite visualizar uma gravidez ectópica diretamente. Se os exames não confirmarem o diagnóstico de gravidez ectópica e a mulher não tiver problemas sérios, os níveis de hCG no sangue são medidos periodicamente. Esses níveis geralmente aumentam com bastante rapidez.

Geralmente, metotrexato para gestações ectópicas pequenas e sem ruptura Cirurgia Às vezes, o medicamento metotrexato

Uma gravidez ectópica deve ser terminada assim que possível para salvar a vida da mulher. No caso de uma gravidez ectópica de pequeno porte, em que não houve ruptura, uma dose do medicamento metotrexato, administrada por injeção, pode geralmente ser utilizada em vez de cirurgia.

  • O medicamento provoca a diminuição e o desaparecimento da gravidez ectópica.
  • Após a administração do medicamento, o médico faz exames de sangue para medir os níveis de hCG toda semana para determinar se o tratamento com metotrexato foi bem-sucedido.
  • Se a hCG não puder ser detectada, o tratamento é considerado bem-sucedido.

Se o tratamento com metotrexato não foi bem-sucedido, é necessária uma segunda dose de metotrexato ou cirurgia. O feto e a placenta são removidos cirurgicamente se o médico suspeitar que houve ruptura de uma gravidez ectópica ou se o tratamento com metotrexato não for indicado, como, por exemplo, se os resultados dos exames de sangue da mulher estiverem alterados.

  1. Se a mulher estiver tendo problemas sérios (por exemplo, sangramento ou choque), o médico remove imediatamente a gravidez ectópica por meio de uma incisão no abdômen (laparotomia).
  2. Durante a cirurgia, o médico remove o feto e a placenta e apenas a parte da trompa de Falópio que não pode ser consertada.

Essa abordagem aumenta a chance de que o conserto da trompa de Falópio permitirá que a mulher engravide. Contudo, há ocasiões em que não é possível consertar a trompa. Raramente, o útero está tão danificado que torna necessária uma histerectomia. OBS.: Esta é a versão para o consumidor. Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

O que fazer para evitar uma gravidez ectópica?

A gravidez ectópica, ou gravidez tubária, acontece quando o embrião, resultante da fecundação do óvulo pelo espermatozoide, cresce fora da cavidade uterina, geralmente nas tubas uterinas (trompas de falópio), Indicativos dessa gestação perigosa podem ser hemorragia vaginal, dor de barriga ou pélvica e dor durante o sexo,

Além das tubas uterinas, tubo que conduz os óvulos dos ovários para o útero, a gravidez ectópica também pode acontecer na cavidade abdominal, no ovário ou colo do útero. A resposta é não, Uma gravidez ectópica não pode prosseguir normalmente, porque o embrião não sobrevive, e o desenvolvimento dele pode destruir várias estruturas da mãe.

Se não for tratada, há o risco de hemorragias. O tratamento precoce de uma gravidez ectópica pode ajudar a preservar a fertilidade. A presença de danos nas tubas uterinas é uma causa comum de gravidez ectópica. Um óvulo fertilizado pode ficar estacionado em uma área danificada de uma tuba e iniciar o desenvolvimento, trazendo diversos riscos.

Tabagismo Doença inflamatória pélvica, que pode surgir a partir de infecção por clamídia ou gonorreia Inflamações e cicatrizes das tubas uterinas, decorrentes de uma condição médica ou cirurgia anterior Gravidez ectópica anterior em uma tuba uterina.

See also:  Passiflora Para Que Serve?

Além disso, outros fatores podem contribuir para uma gravidez anormal, como

Fatores hormonais Anormalidades genéticas Defeitos congênitos Condições médicas que afetam a forma, condição das tubas uterinas e órgãos reprodutivos.

Saiba mais: É possível prevenir uma gravidez ectópica? Veja 8 dúvidas comuns do problema Na maioria dos casos, uma gravidez ectópica se assemelha a uma normal, com sintomas comuns como, por exemplo, atraso na menstruação, seios sensíveis e inchados e náusea, Porém, conforme a gestação progride, a pessoa apresenta sintomas característicos, como:

Hemorragia vaginal Dor de barriga ou dor pélvica Sangramento vaginal moderado ou intenso Dor durante o sexo ou durante um exame pélvico Tontura, vertigem ou desmaio, causada por hemorragia interna Sinais de choque hipovolêmico Dor no ombro causado por hemorragia no abdômen sob o diafragma.

Outro ponto importante é que os sintomas de aborto espontâneo, muitas vezes, são semelhantes aos sintomas precoces que acontecem durante a gravidez ectópica. Na gestação ectópica, o ultrassom é um dos meios para detectar o problema. Exames pélvicos e de sangue também fazem parte do processo.

Gravidez ectópica anterior Inflamação ou infecção das tubas uterinas Problemas de fertilidade Idade materna avançada (35 anos ou mais) História de cirurgia pélvica, cirurgia abdominal ou vários abortos História de endometriose Concepção auxiliada por medicamentos indutores de ovulação ou procedimentos como fertilização in vitro Tabagismo História de infecção sexualmente transmissível (IST) Uso inadequado do DIU, Se utilizado corretamente, o DIU deve impedir a gravidez. Gravidez após cirurgia de laqueadura,

Diante dos sintomas de gravidez ectópica, a gestante deverá realizar:

Exame pélvico, que pode detectar uma obstrução nas tubas uterinas, um alargamento do útero menor do que o esperado para uma gravidez ou a massa na região pélvica Ultrassonografia pélvica transvaginal ou abdominal, sendo que a primeira é a mais acurada para diagnosticar gravidez ectópica Exames de sangue para níveis hormônio da gravidez (gonadotrofina coriônica humana ou beta-hCG ), realizados com 48 horas de intervalo.

Durante as primeiras semanas de uma gravidez normal, os níveis de beta-hCG dobram a cada 2 dias. Níveis baixos ou lentamente crescentes de beta-hCG no sangue sugerem uma gravidez anormal, como ectópica ou aborto espontâneo. Caso os níveis de beta-hCG sejam anormalmente baixos, mais testes serão realizados para descobrir a causa.

Desmaio ou perda de consciência Sangramento vaginal intenso Dor súbita e intensa na barriga ou pélvis Cãibras,

Leia também: Sangramento de escape: o que é, causas e quando ir ao médico Na maioria dos casos, uma gravidez ectópica é tratada imediatamente para evitar uma ruptura dos tecidos e hemorragias, mas o procedimento depende do estado geral da gestante. Para uma gravidez ectópica em que não há sangramento, a mulher pode escolher entre o uso de medicamentos ou cirurgia para interromper a gravidez.

Durante a semana após o tratamento para uma gravidez ectópica, os níveis de hCG no sangue são testados várias vezes. O médico irá procurar por uma queda nos níveis de hCG, que é um sinal de que a gravidez está terminando (os níveis de hCG por vezes sobem durante os primeiros dias de tratamento, para em seguida cair).

Em alguns casos, o teste de hCG continua positivo por semanas, até que os níveis de hCG caiam completamente. Já no caso de possibilidade de aborto espontâneo, o tratamento pode não ser necessário. O médico poderá acompanhar, por meio de exames de sangue, se os níveis do hormônio hCG estão caindo, o que se chama de conduta expectante.

  1. O uso de metotrexato para tratar uma gravidez ectópica pode poupar a incisão e anestesia geral, mas causar efeitos colaterais e demandar uma série de exames de sangue para verificar os níveis de hormônios, a fim de certificar que o tratamento esteja em funcionamento.
  2. O metotrexato inibe o crescimento das células embrionárias que estavam se desenvolvendo fora da cavidade uterina.

O metotrexato será ser indicado pelo médico quando:

Os níveis de hCG são baixos (menos de 5.000) O embrião não tem atividade cardíaca Os níveis de hCG não caem ou se o sangramento não parar.

O prognóstico é determinado pelo dano causado pela gravidez ectópica. Se as duas tubas uterinas estiverem intactas, existe uma possibilidade de 60% de ter uma gravidez normal no futuro. A fertilidade pode ser afetada se um problema reprodutivo existente provocou a gravidez ectópica.

A ruptura da tuba uterina pode causar a morte, embora seja raro. O sucesso do tratamento é comum com cirurgias e medicamentos. A taxa de mortalidade associada a uma ruptura das trompas é menor do que 0,1%. Se a mulher apresenta uma gravidez ectópica que está causando sintomas graves, sangramento ou altos níveis de hCG, a cirurgia laparoscópica é normalmente necessária, sendo ou não um procedimento de emergência, dependendo da gravidade da situação.

É impossível impedir uma gravidez ectópica de acontecer, mas há formas de diminuir alguns fatores de risco. Por exemplo, limitar o número de parceiros sexuais e usar preservativos durante as relações sexuais facilitam a prevenção de IST e reduzem o risco de doença inflamatória pélvica.

Alimente-se com pequenas refeições diárias Pergunte ao seu médico sobre o uso de medicamentos para náusea Descanse o máximo possível Tente eliminar odores fortes de seu entorno Não use drogas anti-inflamatórios não esteroides (AINE) Beba bastante água para evitar a desidratação.

Fadiga:

Planeje vários períodos de descanso ao longo do dia Peça ajuda de familiares ou amigos.

Tontura ou vertigem

Descanse com frequência Mude de posição lentamente.

Ferida na boca e garganta ( estomatite ):

Evite café, alimentos condimentados e salgados ou frutas cítricas; Coma alimentos leves, como cremes ou gelatina; Enxágue a boca a cada duas horas com uma solução de água salgada morna. Misture 1 colher de chá (5 g) de sal de mesa em 240 ml de água morna. Não engula a solução de água salgada, pois pode irritar o estômago.

Diarreia

Coma alimentos leves, como arroz, torradas ou bolachas, banana e maçã Evite alimentos picantes, álcool, café e produtos lácteos Beba muita água para evitar a desidratação,

Por fim, a recuperação emocional pela interrupção da gravidez é imprescindível para eliminar a possibilidade de depressão, muito comum nessas situações. Conversar com o médico ou psicoterapeuta é importante para obter apoio. American College of Obstetricians and Gynecologists Mayo Clinic Manual MSD American Pregnancy Association Organização Mundial da Saúde

Quanto tempo esperar para engravidar depois de uma gravidez ectópica?

Engravidar outra vez depois de uma gravidez ectópica – Após uma gravidez ectópica, algumas pessoas querem esperar para engravidar novamente. Caso queira evitar uma gravidez, você pode começar a usar qualquer tipo de contraceptivo (6). Procure atendimento médico para entender quais são as melhores opções para você.

O retorno do seu ciclo e a possibilidade de tentar engravidar novamente dependerão de como foi seu tratamento para a gravidez ectópica. A recuperação de cada pessoa pode ser um pouco diferente, mas para a maioria das pessoas, leva alguns ciclos antes que a menstruação volte ao normal (2). Se sua gravidez ectópica não precisou de tratamento, você pode tentar engravidar quando um profissional de saúde confirmar que a gravidez ectópica não está mais presente e você sentir que já tem segurança emocional e física (1, 2).

Se você tomou metotrexato, é recomendável esperar 12 semanas (o tempo que leva para o medicamento ser completamente processado pelo seu corpo) antes de tentar engravidar de novo (1). Isso acontece porque o medicamento pode afetar o desenvolvimento de um embrião em uma nova gravidez (1).

Se você fez uma cirurgia para remover a gravidez ectópica, sua capacidade de engravidar novamente dependerá de alguns fatores. A remoção da trompa de Falópio e a cicatrização da cirurgia podem reduzir suas chances de engravidar no futuro (5). Converse com profissionais de saúde sobre sua situação específica para descobrir como o processo de engravidar novamente pode funcionar para você.

Às vezes, há danos no tecido onde ocorreu a gravidez ectópica. As pessoas que já tiveram uma gravidez ectópica têm 10% de risco de ter outra (1, 5). Isso não significa que você tenha um risco maior de sofrer outros tipos de abortos espontâneos em futuras gestações (4).

Quanto tempo leva para engravidar depois de uma gravidez ectópica?

Engravidar outra vez depois de uma gravidez ectópica – Após uma gravidez ectópica, algumas pessoas querem esperar para engravidar novamente. Caso queira evitar uma gravidez, você pode começar a usar qualquer tipo de contraceptivo (6). Procure atendimento médico para entender quais são as melhores opções para você.

  1. O retorno do seu ciclo e a possibilidade de tentar engravidar novamente dependerão de como foi seu tratamento para a gravidez ectópica.
  2. A recuperação de cada pessoa pode ser um pouco diferente, mas para a maioria das pessoas, leva alguns ciclos antes que a menstruação volte ao normal (2).
  3. Se sua gravidez ectópica não precisou de tratamento, você pode tentar engravidar quando um profissional de saúde confirmar que a gravidez ectópica não está mais presente e você sentir que já tem segurança emocional e física (1, 2).

Se você tomou metotrexato, é recomendável esperar 12 semanas (o tempo que leva para o medicamento ser completamente processado pelo seu corpo) antes de tentar engravidar de novo (1). Isso acontece porque o medicamento pode afetar o desenvolvimento de um embrião em uma nova gravidez (1).

  • Se você fez uma cirurgia para remover a gravidez ectópica, sua capacidade de engravidar novamente dependerá de alguns fatores.
  • A remoção da trompa de Falópio e a cicatrização da cirurgia podem reduzir suas chances de engravidar no futuro (5).
  • Converse com profissionais de saúde sobre sua situação específica para descobrir como o processo de engravidar novamente pode funcionar para você.

Às vezes, há danos no tecido onde ocorreu a gravidez ectópica. As pessoas que já tiveram uma gravidez ectópica têm 10% de risco de ter outra (1, 5). Isso não significa que você tenha um risco maior de sofrer outros tipos de abortos espontâneos em futuras gestações (4).

Tem possibilidade de estar grávida e não aparece no ultrassom?

O que fazer se o embrião não aparecer no ultrassom – Se o embrião não aparecer na imagem do ultrassom, é importante consultar seu médico para entender as causas desse resultado e descartar possíveis problemas. O médico pode solicitar exames adicionais para obter um diagnóstico mais preciso.