Quem Descobriu A AmRica?

Quem descobriu toda a América?

Introdução – O Descobrimento da América aconteceu em 1492, quando o navegador genovês Cristóvão Colombo, financiado pela monarquia espanhola, chegou à Ilha de Guanahani, nas Antilhas (rebatizada posteriormente como San Salvador). Colombo acreditava que havia chegado às Índias,

Só após mais três viagens, já em 1504, as frotas espanholas constatam que o território descoberto se tratava, na realidade, de um Novo Mundo, O processo de Descobrimento da América só foi possível porque os reinos monárquicos europeus em geral, desde o final da Idade Média, passaram a investir na atividade mercantil,

Os europeus ampliaram seus conhecimentos nas técnicas de navegação e fortaleceram a expansão marítima, Além disso, a formação da Espanha como Estado monárquico centralizado iniciou as grandes navegações, empreendidas por este reino ao financiar a expedição proposta por Colombo,

Quem descobriu a América antes de Colombo?

Colombo liderou a primeira expedição europeia a chegar à América? – Local onde ficava o assentamento construído pelos vikings na América do Norte, no final do século X. A expedição de Colombo não foi a primeira expedição europeia a chegar à América. Os primeiros europeus a chegarem a esse continente foram os vikings, liderados por Leif Eriksson, um explorador que liderou uma expedição com 35 homens, no final do século X, e chegou à região da Terra Nova, atual Canadá.

Qual foi o primeiro país a ser descoberto na América?

Descobrimento da América ou a chegada dos espanhóis à América deu-se em 12 de outubro de 1492, por meio da expedição liderada por Cristóvão Colombo. Em 12 de outubro de 1492, as três embarcações lideradas por Colombo chegaram à ilha de Guanahani, atual Bahamas.

Quem descobriu a América foi Américo Vespúcio?

Américo Vespúcio foi um navegador, cartógrafo, escritor e comerciante florentino. Participou três vezes de expedições marítimas. Devido às suas descrições sobre a nova terra, o continente americano foi batizado em sua homenagem. Américo Vespúcio retratado como descobridor e conquistador da terra do Brasil.

Quem foi que descobriu o Brasil?

Curiosidades –

O pagamento de Pedro Álvares Cabral foi de 10 mil cruzados (o equivalente a 35 quilos de ouro). Ele também poderia comprar e vender 30 toneladas de pimenta e 10 caixas de outra especiaria. Um marinheiro comum, por sua vez, ganhava 10 cruzados mensalmente, além de 10 quintais de pimenta |7|, Pedro Álvares Cabral tinha 1,90 m de altura. Era comum que, nessas expedições marítimas da Idade Moderna, prostitutas fossem levadas escondidas nas embarcações. O escorbuto (doença causada pela falta de vitamina C) era uma das doenças que mais afetavam os marinheiros no período das grandes navegações. Ainda não se sabe o que houve com a nau de Vasco Ataíde (uma das 13 naus da expedição de Cabral), mas acredita-se que tenha naufragado durante uma tempestade. O primeiro nome dado ao Brasil foi Ilha de Vera Cruz, e depois passou a chamar-se Terra de Santa Cruz. Outro nome pelo qual o Brasil foi chamado, à época, foi Terra dos Papagaios, em decorrência da quantidade de papagaios que havia aqui. Pero Vaz de Caminha, quando relatou o achamento do Brasil para o rei português, acreditou que as novas terras eram, na verdade, uma ilha. A ilha de Fernando de Noronha tem esse nome em referência a Fernão de Loronha, fidalgo português que recebeu a ilha como capitania do rei de Portugal, em 1504. Estima-se que, quando da chegada dos portugueses, aproximadamente, sete milhões de indígenas viviam no território brasileiro. Quando a expedição de Cabral partiu do Brasil, em 2 de maio de 1500, dois grumetes desertores e dois degredados foram deixados no território com os nativos. Antes de chamar-se Pedro Álvares Cabral, o nome do líder da expedição portuguesa era Pedro Álvares Gouveia. A troca de nome deu-se com o abandono do sobrenome de sua mãe, d. Isabel Gouveia, e a adesão do sobrenome de seu pai, Fernão Cabral.

Notas |1| COUTO, Jorge. A gênese do Brasil. In.: MOTA, Carlos Guilherme (org.). Viagem incompleta : a experiência brasileira. São Paulo: Editora Senac, 1999.p.48. |2| Idem, p.48-49. |3| CASTRO Sílvio. A carta de Pero Vaz de Caminha, Porto Alegre: L&PM Pocket, 2013.p.87.

|4| Idem, p.87. |5| Idem, p.88. |6| Idem, p.90. |7| SCHWARCZ, Lilia Moritz e STARLING, Heloisa Murgel. Brasil : uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.p.25. Créditos das imagens neftali e Shutterstock Commons Fontes CASTRO Sílvio. A carta de Pero Vaz de Caminha. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2013.

COUTO, Jorge. A gênese do Brasil. In.: MOTA, Carlos Guilherme (org.). Viagem incompleta: A experiência brasileira. São Paulo: Editora Senac, 1999. FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 2013. SCHWARCZ, Lilia Moritz; STARLING, Heloisa Murgel. Brasil: uma biografia.

Qual é o país mais antigo da América do Sul?

Logabriell07. O primeiro país na América do Sul a conquistar sua independência foi o Paraguai em 15 de maio de 1811, o país se tornou independente da Espanha. A América do Sul, foi colonizada por países europeus e com o processo de independência foram formados os primeiros países independentes na América

Quem colonizou os países da América do Sul?

A América do Sul é um dos subcontinentes que formam a América, Ela é composta por 12 países que foram colonizados, proritariamente, por portugueses e espanhóis. A população sul-americana é compostada por descendentes de povos indígenas, europeus e africanos, que contribuíram diretamente para a formação das sociedades locais.

Atualmente, é uma das regiões mais diversas de todo o globo em termos físicos e humanos. A geografia desse território é caracterizada pelo clima tropical e pela elevada biodiversidade, Já a economia do subcontinente tem como destaque o setor primário. O território sul-americano é formado por países de governos presidencialistas que possuem bons laços diplomáticos.

Sua cultura está ancorada em tradições indígenas e africanas, além da influência europeia, notadamente na língua e na religião. Leia também: Quais são os continentes que compõem o mapa-múndi?

É verdade que os vikings descobriram a América?

Em 2021, no entanto, um estudo publicado na revista ‘Nature’ mostrou que os vikings estiveram na América do Norte em 1021, ou seja, quase 500 anos antes de Cristóvão Colombo. A descoberta foi feita a partir de fragmentos de madeira que continham marcas de uma tempestade solar do ano 992.

Qual é a origem do povo americano?

Levas vieram da Ásia pelo Estreito de Bering há cerca de 15 mil anos. Os primeiros habitantes da América chegaram ao continente há mais de 15 mil anos e vieram da Ásia em três ondas migratórias separadas.

Porque Cristóvão Colombo descobriu a América?

Descobrimento da América foi o momento em que os espanhóis, liderados por Cristóvão Colombo, chegaram ao continente americano pela primeira vez, em outubro de 1492. O descobrimento da América aconteceu com a chegada dos espanhóis no continente, em 12 de outubro de 1492, durante a expedição de Cristóvão Colombo,

Existe um debate entre os historiadores a respeito da utilização do termo “descobrimento”, de toda forma, depois que os espanhóis chegaram à América, iniciou-se o processo de colonização do território encontrado. A chegada dos espanhóis à América está relacionada com as grandes navegações e com a busca dos europeus pelo alcance do mercado das Índias a fim de comprar as preciosas especiarias, produtos valiosíssimos na Europa.

Do lado dos povos indígenas, a chegada dos europeus significou tragédia, pois, em poucas décadas, milhões deles morreram. Acesse também : Como os espanhóis conquistaram a América dos povos nativos?

Foi o primeiro país do mundo?

Japão. O Japão é o país mais antigo do mundo, tendo sido formado em 660 a.C.

Qual a idade dos Estados Unidos da América?

Estados Unidos

Estados Unidos da América United States of America
Brasão de armas dos Estados Unidos Bandeira Brasão de armas
declarada 4 de julho de 1776 (247 anos)
reconhecida 3 de setembro de 1783 (240 anos)
Atual constituição 21 de junho de 1788

Como foi descoberto o continente americano?

Introdução – O Descobrimento da América aconteceu em 1492, quando o navegador genovês Cristóvão Colombo, financiado pela monarquia espanhola, chegou à Ilha de Guanahani, nas Antilhas (rebatizada posteriormente como San Salvador). Colombo acreditava que havia chegado às Índias,

  • Só após mais três viagens, já em 1504, as frotas espanholas constatam que o território descoberto se tratava, na realidade, de um Novo Mundo,
  • O processo de Descobrimento da América só foi possível porque os reinos monárquicos europeus em geral, desde o final da Idade Média, passaram a investir na atividade mercantil,
See also:  Quanto Ganha Um Dublador?

Os europeus ampliaram seus conhecimentos nas técnicas de navegação e fortaleceram a expansão marítima, Além disso, a formação da Espanha como Estado monárquico centralizado iniciou as grandes navegações, empreendidas por este reino ao financiar a expedição proposta por Colombo,

Porque a nossa Terra recebeu o nome de América?

Durante muitos anos, as terras pertencentes ao rei de Portugal na América receberam diferentes denominações: Ilha de Vera Cruz, Terra de Santa Cruz e Terra do Brasil. Os dois primeiros nomes refletiam o sentido da propagação da fé e, o terceiro, o sentido mercantil da expansão marítima portuguesa. O brasil, madeira útil para tingir tecidos, era o único produto encontrado no litoral com possibilidade de comercialização em larga escala. Essas denominações falam, também, dos portugueses e de suas concepções do mundo à época das navegações. Quando, em meados do século XVI, o nome Brasil começou a prevalecer sobre o de Santa Cruz, o cronista João de Barros afirmou ser aquela uma “mudança inspirada pelo demônio, pois a vil madeira que tinge o pano de vermelho não vale o sangue vertido para a nossa salvação”. E quando, no início do século seguinte, frei Vicente do Salvador escreveu a primeira História do Brasil, sustentou que “como o demônio com o sinal da cruz perdeu todo o domínio que tinha sobre os homens, receando perder também o muito que tinha em os desta terra, trabalhou para que se esquecesse o primeiro nome e lhe ficasse o de Brasil, por causa de um pau assim chamado de cor abrasada e vermelha com que tingem panos, que o daquele divino pau, que deu tinta e virtude a todos os sacramentos da Igreja”. As disputas a respeito do nome do território evidenciam as divisões da sociedade portuguesa, na qual os valores e personagens, associados ao que então começava a ser identificado como moderno, encontravam grandes dificuldades para se afirmar. Predominava um verdadeiro temor a todo tipo de inovação vinda de fora.

Muitos atribuíram aos estrangeiros e aos cristãos-novos a responsabilidade das inovações. Diziam que os estrangeiros eram impuros nas idéias, contaminados por terem entrado em contato com o mundo exterior e seus pensamentos. E os judeus, recém convertidos à fé cristã, eram impuros na fé e no sangue. Contra ambos seriam mobilizadas forças poderosas como a Companhia de Jesus e o Tribunal do Santo Ofício – a Inquisição.

Os nomes dados à Terra, assim como a tudo mais, falam ainda sobre o modo como os europeus encaravam os mundos que descobriam. A nenhum deles ocorria respeitar a nomenclatura existente dos lugares e das coisas. Talvez só uns poucos se interessaram em saber por que os nativos chamavam Ibirapitanga à terra que habitavam. Os territórios alcançados por Cristóvão Colombo em 1492, ficariam conhecidos como América, numa espécie de homenagem ao navegador Américo Vespúcio, que fornecera inúmeras informações aos europeus sobre o novo continente. Aos habitantes das terras portuguesas chamaram índios, demonstrando ignorar a imensa diversidade que apresentavam entre si. Da mesma forma como há muito tempo, em Portugal, eram chamados negros todos aqueles que ocupavam uma posição inferior, independente da cor da pele. Assim, desde o início, a intenção dominadora marcou as imagens do novo território: dar nomes é conquistar; nomear é tomar; batizar é dominar.

Qual o significado da palavra Vespúcio?

Navio chamado de ‘o mais bonito do mundo’ chega ao Brasil nesta quarta-feira Na quarta-feira, 4, chega ao Brasil o navio Amerigo Vespucci, que pertence à Marinha italiana e está realizando uma turnê mundial. A embarcação é considerada por muitos o navio mais bonito do mundo e atracará em Fortaleza, no Ceará, para divulgar a cultura e as tradições marítimas italianas.

  • Usada originalmente para oferecer atividades de formação aos alunos da Academia Naval e do Colégio Naval italianos, a embarcação partiu de Gênova em 1º de julho e já passou por sete países: França, Espanha, Senegal, Cabo Verde, República Dominicana, Colômbia e Trinidad e Tobago.
  • O navio permanecerá até o dia 24 no Brasil – de 4 a 8 em Fortaleza e de 20 a 24 no Rio de Janeiro.

Depois, seguirá a turnê que ao todo engloba 31 portos em 28 países de cinco continentes, navegando por três oceanos até 11 de fevereiro de 2025. “Ao desafio da viagem se soma a oportunidade de trazer um pedaço da Itália e das muitas notáveis excelências do nosso país e mostrá-lo em cada uma das paradas: da arte à tecnologia de ponta, dos produtos locais à culinária, à cultura, com tudo o que o ‘made in Italy’ representa e que faz da ‘italianidade’ uma marca única, apreciada em todo o mundo”, diz o capitão Giuseppe Lai, comandante do Amerigo Vespucci.

  1. Em Fortaleza, o navio ficará ancorado no Píer 106 do Porto de Mucuripe e será palco de diversas atividades, inclusive visitação aberta ao público, no dia 7.
  2. Tenho certeza que o navio Vespucci, com sua majestade, graça e elegância atemporal, hipnotizará qualquer pessoa que o venha a contemplar.
  3. Esta iniciativa representa mais um testemunho da relevância do intercâmbio cultural, tecnológico e científico entre Itália e Brasil”, disse o embaixador da Itália no Brasil, Francesco Azzarello.

Construído em 1930, o navio Amerigo Vespucci tem mais de 100 metros de comprimento, 21 metros de largura e 28 metros de altura. Usado como navio-escola desde 6 de junho de 1931, é a unidade mais longeva a serviço da Marinha Militar italiana. Com o lema “Não quem começa, mas quem persevera”, o veleiro fica alocado no porto La Spezia, em Ligúria, e realiza todos os anos atividades de formação de alunos da Academia Naval e do Colégio Naval italiano.

  • De 1931 a 2022, esse navio realizou 86 campanhas de instrução a alunos da Academia Naval.
  • As campanhas educativas realizadas no período de verão têm duração média de três meses e em geral envolvem portos estrangeiros.
  • Durante as viagens, são ensinadas aos alunos a bordo as regras básicas da vida no mar, englobando conhecimentos de marinharia, condução da unidade, operação do motor e equipamentos auxiliares, além da gestão de questões logísticas, administrativas e sanitárias.

Com esse objetivo, além da atividade prática, são organizadas conferências e aulas ministradas pelos tripulantes e pesquisadores locais. Sua tripulação é composta por 264 militares, sendo 15 oficiais, 30 suboficiais, 34 sargentos e 185 cabos e marinheiros.

  1. O nome é uma homenagem ao navegador e mercador italiano Américo Vespúcio (1454-1512), que trabalhou para os reinos de Espanha e Portugal e foi parceiro de Cristóvão Colombo.
  2. Vespúcio foi a primeira pessoa a defender e demonstrar que o Brasil e as Índias Ocidentais não representavam regiões do leste da Ásia, como inicialmente pensou Colombo, mas massas de terra totalmente separadas e até então desconhecidas dos europeus.

O continente foi chamado de América em homenagem a Vespúcio. Em 1501, o navegador fez sua primeira viagem ao Brasil, por ordem do rei de Portugal. Dois anos depois viajou novamente para o País. Em 1505, naturalizou-se espanhol. : Navio chamado de ‘o mais bonito do mundo’ chega ao Brasil nesta quarta-feira

Qual era o nome que os índios chamavam o Brasil?

O Brasil já teve oito nomes antes do atual: Pindorama (nome dado pelos indígenas); Ilha de Vera Cruz, em 1500; Terra Nova em 1501; Terra dos Papagaios, em 1501; Terra de Vera Cruz, em 1503; Terra de Santa Cruz, em 1503; Terra Santa Cruz do Brasil, em 1505; Terra do Brasil, em 1505; e finalmente Brasil, desde 1527.

Quem esteve no Brasil antes de Cabral?

Antes de continuar a viagem para a Índia, os navegantes permaneceriam ali até o dia 2 de maio, tomando posse da terra, ’em nome de d. Manuel I e de Jesus Cristo’. Assim, a chegada de Cabral ao Brasil é dois anos posterior à de Duarte Pacheco.

Qual é o nome do Brasil antes da chegada dos portugueses?

Descobrimento do Brasil Hoje (22/04), comemoramos o descobrimento do Brasil. Há 522 anos, Pedro Álvares Cabral desembarcou em Porto Seguro, no litoral sul da Bahia, em 1500, tornando a região colônia do Reino de Portugal. Mas você sabia que antes de se chamar Brasil nosso país teve outros nomes? Inicialmente, o nome dado pelos indígenas que aqui habitavam era Pindorama; depois do descobrimento foi chamado de Ilha de Vera Cruz (1500), Terra Nova (1501), Terra dos Papagaios (1501), Terra de Vera Cruz (1503), Terra de Santa Cruz (1503), Terra Santa Cruz do Brasil (1505), Terra do Brasil (1505), e, finalmente, Brasil, desde 1527.

See also:  Onde Fica O PulmO Nas Costas?

Qual é o país mais velho do mundo?

– Por Flipar Reprodução/ visitjapan Divulgação O país mais antigo do mundo de acordo com os registros históricos é o Japão, que se tornou independente no ano 660 A.C. Não à toa é uma das nações mais tradicionais até os dias atuais. Reprodução/ Expedia Divulgação A China é mais um país com mais de dois milênios de existência, já que se tornou independente em 221 A.C.

  1. Além disso, é um dos países mais populosos do mundo com mais de 1,4 bilhão de habitantes.
  2. Reprodução/ 2LC- PER Divulgação Com um padrão de vida elevado e com ótimos índices de educação, saúde e segurança, a Dinamarca também se destaca pela sua idade, já que é independente desde o começo do século 8.
  3. Reprodução/ Expedia Divulgação Os franceses foram fundamentais em grandes momentos da história, envolvendo revoluções e guerras.

Muito disso por causa da sua longa existência, já que o país se tornou independente no ano de 846. Reprodução/ BookingHunterTV Divulgação O Top 5 é completado pela Áustria, que se tornou independente no ano de 976 e que durante muito tempo esteve sob o Sacro Império Romano.

  • Reprodução/ touropia Divulgação A Hungria tem uma cultura bastante diversificada e muitos húngaros estão espalhados ao redor do mundo.
  • O país é independente desde o ano 1000.
  • Reprodução/ Expedia Divulgação Um dos pioneiros nas navegações para descobrir ‘novos mundos’, Portugal é um dos países mais antigos do mundo já que se tornou independente em 1139.

Reprodução/ touropia Divulgação Um país com muita história e tradições, a Mongólia se tornou independente em 1206. Fica localizada entre a China e a Rússia. Reprodução/ Adventure Calls Divulgação Independente desde 1238, a Tailândia tem quase 70 milhões de habitantes e possui uma parcela significativa de moradores na área rural, trabalhando em cultivos de arroz.

Qual país mais colonizou a América?

17 outubro 2022 A localização da Espanha, na junção entre o Oceano Atlântico e o Mar Mediterrâneo, na Europa e próximo da África, fez do país uma ponte política e cultural chave para o mundo todo. Invadida por berberes no século 8, a Espanha foi um dos centros do mundo muçulmano.

  1. A cultura islâmica influenciou de forma significativa a Península Ibéria, especialmente na região da Andaluzia, no sul da atual Espanha.
  2. A ocupação, que durou quase oito séculos, foi encerrada no final do século 15 como parte do movimento que ficou conhecido como Reconquista.
  3. Após a expulsão dos últimos muçulmanos, a Espanha tornou-se uma potência global no século 16 por meio da conquista e da colonização.

Sua maior presença foi no continente americano, onde suas posses coloniais estendiam-se do sul dos atuais Estados Unidos até a Terra do Fogo. Seu vasto império foi mantido até o século 19, quando vários movimentos de libertação na América Espanhola deram origem a dezenas de países diferentes – nas Américas do Sul, Central e do Norte. Crédito, Getty Images Legenda da foto, As principais cidades espanholas, como Barcelona, são grandes atrações, visitadas por turistas do mundo todo Desde a morte de Franco em 1975, a Espanha fez uma transição para a democracia e construiu uma economia moderna.

A entrada do país na Comunidade Econômica Europeia – que posteriormente viraria a União Europeia – deu grande impulso econômico. As 17 regiões do país têm suas próprias autoridades eleitas diretamente, mas a ideia de separatismo permanece na rica região da Catalúnia, no nordeste da Espanha assim como na região basca no norte do país.

A Espanha é um país de grande interesse turístico, com muitas de suas cidades – como Barcelona, Madri e Sevilla – sendo visitadas anualmente por milhões de pessoas do mundo todo. Em 2019, antes do impacto negativo no setor de turismo provocado pela pandemia de covid-19, a Espanha recebeu mais de 90 milhões de turistas, sendo superada apenas pela França como destino favorito de turistas internacionais.

  1. O país também é uma grande referência cultural.
  2. A música e a dança flamencas, de forte influência árabe, são admiradas mundo afora.
  3. Já o cinema espanhol é reconhecido internacionalmente como de alta qualidade, com destaques para diretores como Pedro Almodóvar e Carlos Saura.
  4. As corridas de touros – ou touradas -, no entanto, são um lado polêmico da cultura espanhola e alvo de protestos devido ao sofrimento imposto aos animais mortos nas arenas.

FATOS AFP Reino da Espanha Capital: Madri

População 46,7 milhões Área 505.988 quilômetros quadrados Principais línguas Espanhol (castelhano), catalão e sua variante valenciano, galego e euskera (basco) Principal religião Cristianismo Expectativa de vida 79 anos (homem), 85 anos (mulher) Moeda Euro

Fonte: ONU, Banco Mundial LÍDERES: Rei: Felipe 6º Crédito, Getty Images Legenda da foto, Felipe assumiu o trono com a renúncia de seu pai, Juan Carlos, que teve papel importante na redemocratização espanhola O rei Felipe ascendeu ao trono com a abdicação de seu pai, Juan Carlos, em junho de 2014. Nascido em 1968, quando seu pai era herdeiro-aparente do vacante trono durante a ditadura de Franco, o príncipe Felipe foi educado para seu futuro papel real e assumiu compromissos oficiais em nome de seu pai a partir de 1995. Crédito, Getty Images Legenda da foto, O socialista Pedro Sánchez tomou o lugar de Mariano Rajoy em 2018 e venceu as eleições de 2019 O socialista Pedro Sánchez assumiu o cargo de primeiro-ministro em junho de 2018, depois que seu antecessor, o conservador Mariano Rajoy, perdeu um voto de confiança no Parlamento.

O voto foi decorrente de um julgamento de corrupção envolvendo integrantes do Partido Popular, de Rajoy. Eleições realizadas em abril e em novembro de 2019 aumentaram o apoio aos socialistas, embora o partido não tenha obtido a maioria. O Vox tornou-se o primeiro partido de direita radical a obter assentos desde a morte de Francisco Franco, em 1975.

Em janeiro de 2020, Sánchez formou um governo de coalizão com o partido de esquerda Podemos, depois de vencer um voto de confiança por uma margem estreita. MÍDIA Crédito, Getty Images Legenda da foto, A imprensa espanhola tem liberdade para investigar, mas há preocupação quanto à concentração da propriedade A rede pública RTVE divide o mercado com grandes operadoras comerciais. Redes regionais de TV são operadas pelos respectivos governos de cada região.

A ONG Freedom House destaca a liberdade que os jornais têm para investigar casos de corrupção, mas aponta preocupações em relação à concentração da propriedade no setor de mídia e àquilo que considera interferência política na mídia pública. A Espanha tem mais de 40 milhões de usuários de internet. O Facebook é a principal plataforma social usada no país.

RELAÇÕES COM O BRASIL A Espanha reconheceu a independência do Brasil em 1834, e as duas coroas mantiveram relações amistosas a partir de então. Na década de 1880, a imigração de espanhóis para o Brasil ganhou ritmo acelerado, processo que voltaria a ser intensificado na década de 1930, durante a Guerra Civil Espanhola.

  1. No final do século 20, com a modernização da economia da Espanha e a abertura da economia brasileira, os dois países se aproximaram mais nessa área.
  2. Os investimentos espanhóis no Brasil aumentaram, com destaque para o setor de telecomunicações – em 1998, a espanhola Telefónica comprou a ex-estatal paulista Telesp.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores brasileiro, o Brasil tornou-se o segundo maior destino de investimentos espanhóis no exterior, atrás apenas do Reino Unido. Estimativa do governo diz haver cerca de 80 mil brasileiros vivendo na Espanha. LINHA DO TEMPO Importantes datas na história da Espanha: 711 – A Península Ibérica é invadida por berberes muçulmanos, iniciando uma presença muçulmana que duraria quase oito séculos.

A Andaluzia, no sul da Espanha, torna-se um dos principais centros do mundo muçulmano, com grande desenvolvimento cultural.1492 – Com a retomada de Granada, o reino de Castilla encerra a chamada Reconquista e termina com a dominação muçulmana na península. Patrocinado pela coroa espanhola, Cristóvão Colombo chega às Américas.

Séculos 16 e 17 – O Império Espanhol está no seu auge, com a Espanha sendo a potência predominante na Europa. O declínio do país começa com o avanço dos Estados protestantes no norte da Europa e do Império Otomano no Mediterrâneo. Século 18 – A guerra da Sucessão Espanhola faz com que a Espanha perdesse suas posses europeias fora da Península Ibérica.

A dinastia Bourbon, originalmente da França, centraliza o Estado espanhol, fechando muitas assembleias regionais e modernizando o governo e as forças armadas. Século 19 – O legado napoleônico de divisão política e deslocamento econômico deixa a Espanha fraca e instável, com mudanças de governo frequentes e uma pequena insurgência de carlistas, que apoiavam uma facção rival da família real espanhola.

Todas as colônias latino-americanas conquistam sua independência, sendo que Cuba, Porto Rico e as Filipinas, na Ásia, foram perdidas em decorrência de sua desastrosa guerra com os Estados Unidos em 1898.1936-39 – A Guerra Civil Espanhola coloca republicanos de esquerda contra nacionalistas de direita, com ambos os lados recebendo apoio estrangeiro. Crédito, Hulton Deutsch/Getty Images Legenda da foto, A Guerra Civil Espanhola opôs republicanos (foto) contra os nacionalistas liderados por Franco, vencedor do conflito 1975 – Morre Francisco Franco, que é sucedido como chefe de Estado pelo rei Juan Carlos.

See also:  Sertralina Para Que Serve E Como Tomar?

Qual é a cidade mais antiga do mundo?

1. Jericó – Localizada na Cisjordânia, é considerada a cidade mais antiga do mundo, habitada há 11 mil anos, desde 9 mil a.C. Estima-se que mais de 20 civilizações se estabeleceram na região, citada diversas vezes na Bíblia e denominada como “Cidade das “. Mesquita dos Omíadas, em Damasco, na Síria (Foto: Pixabay / Dianne Ket / CreativeCommons) Escavações comprovam que a capital da Síria é ocupada continuamente desde 5 mil a.C, o que lhe dá o título de mais antiga capital de um país. Nos séculos passados, foi uma importante rota comercial entre ocidente e oriente. Vista aérea da cidade de Biblos, no Líbano (Foto: Pexels / Nate Hovee / CreativeCommons)

Quem foi o primeiro a pisar no continente americano?

Cristóvão Colombo foi um navegador e explorador genovês. Foi o primeiro europeu a chegar nas terras do continente americano, chamado de Novo Mundo, em 1492.

Qual o país foi descoberto primeiro Brasil ou Estados Unidos?

Untitled Document O início do século XV foi marcado pelo “descobrimento” do Novo Mundo. Era a época dos grandes navegadores, como Cristóvão Colombo, Pedro Álvares Cabral, João Ramalho, Vicente Pizón, Américo Vespúcio. Este último, inclusive, emprestou o nome ao novo continente descoberto por Colombo.

  1. Portugal e Espanha, as duas potências hegemônicas da época, estavam na vanguarda da tecnologia náutica e bancavam as grandes expedições exploratórias.
  2. Cristóvão Colombo teria “descoberto” a América do Norte pouco antes de Cabral “descobrir” o Brasil.
  3. Apenas oito anos separam as duas datas.
  4. Contudo, 500 anos depois, uma distância abissal separa o atual estágio de desenvolvimento dos dois países.

Os Estados Unidos são uma nação altamente desenvolvida. O Brasil continua sendo “o país do futuro”. Apesar de o grande salto desenvolvimentista americano ter ocorrido somente após a II Guerra Mundial, quando as potências européias se destruíram mutuamente, as bases para este progresso já estavam solidamente construídas desde o tempo da colonização.

  • Para o historiador Viana Moog, são três os principais fatores determinantes do progresso americano frente ao atraso brasileiro.
  • Primeiro, o geográfico: a hidrografia americana foi favorável à expansão da colonização.
  • Os rios Mississipi e Misouri, considerados de “integração nacional”, são extensamente navegáveis.

No Brasil, o rio São Francisco integra apenas parcialmente o país, do Centro-Oeste ao Nordeste. Segundo, o processo de colonização. No caso americano, os ingleses, colonizadores, emigraram maciçamente para a Nova Inglaterra. Os portugueses colonizaram o Brasil com outra filosofia.

  • Apenas exploravam as riquezas da terra num extrativismo predatório, mandando para cá os expatriados.
  • As malfadadas Capitanias Hereditárias dividiram o país em 13 partes, dando origem aos latifúndios, nossos velhos conhecidos.
  • Nossa agricultura era baseada em latifúndio, monocultura de cana-de-açucar, e trabalho escravo.

Lá, apenas os estados do sul apresentam este perfil, latifundiário e escravagista. Nos estados do norte, as propriedades eram minifúndios, cultivadas em regime de policultura (milho, soja, algodão, etc.), pelas próprias famílias dos colonos. O terceiro fator, ainda segundo Moog, foi o religioso.

Enquanto a religião Católica, trazida pelos portugueses, era contrária ao lucro, os americanos acharam uma forma de conciliar o lucro e os juros ao código de ética de sua religião, Protestante. O conceito medieval de que Deus se envergonha da riqueza é rechaçado pelo argumento protestante de que “é a pobreza que envergonha Deus.” O professor de História, Sandro Lombardi, da Universidade Católica de Pernambuco, acrescenta outro detalhe importante.

No Brasil, toda a riqueza produzida, seguia para Portugal. Os colonizadores portugueses nascidos no Brasil, além de não poderem obter lucros, por causa da filosofia anti-capitalista da Igreja Católica, não podiam comercializar seus produtos com nenhum país, exceto Portugal.

Os americanos, que lucravam e cobravam juros nas transações financeiras, podiam comercializar livremente seus produtos, desde que os transportassem em navios ingleses — única exigência dos colonizadores. Lombardi chama atenção ainda para o fator humano. O povo brasileiro foi formado a partir da miscigenação racial, entre o branco (não obstante o português já seja miscigenado com os mouros), os índios e os negros africanos.

Os americanos seguiram o caminho da segregação racial. Certamente não foi este segregacionismo que impulsionou o desenvolvimento americano, embora possa ter ajudado a incutir no povo a idéia de cidadania americana. Uma vociferante parcela daquela população autodenominou-se Wasp, sigla inglesa para “brancos, anglo-saxões, protestantes”.

  1. Os Wasps, com seu lema de “América para os americanos”, não consideravam os nativos como sendo americanos.
  2. Ao contrário, foram considerados “hostis” e exterminados.
  3. E não foram os únicos.
  4. O extermínio sistemático dos aborígenes não é privilégio dos gringos.
  5. Os brasileiros também varreram do mapa os antigos habitantes da Terra Brasilis,

Se os gringos carregam o estigma de ter criado a pátria do Tio Sam sobre os escombros da nação ianque, também nós brasileiros temos nossa parcela de culpa. Afinal, nossa Nação foi construída em cima das ruínas da pátria tupiniquim. De fato, a descoberta do Novo Mundo selou o fim das três grandes civilizações americanas nativas.

  1. Os Incas, que habitavam entre o Peru e a Bolívia; os Maias, na América Central, e os Aztecas, no México, foram completamente dizimados em três dos maiores genocídios da história.
  2. Das cinzas daquelas antigas civilizações nasceriam as novas.
  3. Os Estados Unidos alcançaram um nível de desenvolvimento que ainda estamos longe de conseguir.

As razões para esta diferença são inúmeras, mas certamente podem ser explicadas por um estudo atento da história dos dois países. Afinal, 500 anos fazem a diferença. : Untitled Document

Quem descobriu a América e por que tem esse nome?

O nome ‘América’, aplicado ao que é agora a América do Sul, foi cunhado por Waldseemüller (1507), baseado na crença errônea de haver sido descoberto o ‘Novo Mundo’ por Amerigo Vespucci.

Quem colonizou os países da América do Sul?

A América do Sul é um dos subcontinentes que formam a América, Ela é composta por 12 países que foram colonizados, proritariamente, por portugueses e espanhóis. A população sul-americana é compostada por descendentes de povos indígenas, europeus e africanos, que contribuíram diretamente para a formação das sociedades locais.

Atualmente, é uma das regiões mais diversas de todo o globo em termos físicos e humanos. A geografia desse território é caracterizada pelo clima tropical e pela elevada biodiversidade, Já a economia do subcontinente tem como destaque o setor primário. O território sul-americano é formado por países de governos presidencialistas que possuem bons laços diplomáticos.

Sua cultura está ancorada em tradições indígenas e africanas, além da influência europeia, notadamente na língua e na religião. Leia também: Quais são os continentes que compõem o mapa-múndi?