Quem Ganhou A Copa Do Mundo?

Quem tem mais mundiais do mundo?

Todos os campeões mundiais de clubes

CLUBES TÍTULOS MUNDIAIS TEMPORADAS
Real Madrid 8 1960, 1998, 2002, 2014, 2016, 2017, 2018 e 2022
Milan 4 1969, 1989, 1990 e 2007
Bayern de Munique 4 1976, 2001, 2013 e 2020
Barcelona 3 2009, 2011 e 2015

Qual foi a primeira vez que o Brasil ganhou a Copa do Mundo?

História Hoje: Primeiro título do Brasil na Copa do Mundo A Seleção Brasileira de Futebol levantou a taça de campeã pela primeira vez, em 29 de junho de 1958, na Suécia. A equipe venceu os anfitriões por cinco a dois. A Copa começou sem algumas grandes seleções. Uruguai e Itália não se classificaram. A celeste foi eliminada pelo Paraguai. E os italianos foram desclassificados após confronto com a Irlanda do Norte. Holanda e Espanha também ficaram de fora. A seleção canarinha estreou contra a Áustria e ganhou a partida por três a zero.

No jogo seguinte, empatou no zero a zero contra a Inglaterra. Depois, enfrentou a União Soviética, uma das favoritas já que tinha sido campeã olímpica. E o Brasil venceu por dois a zero, assumindo a liderança do grupo. Nas quartas-de-final, o Brasil pegou o País de Gales e ganhou com um gol de Pelé. Contra a França, na semifinal, o Brasil marcou cinco a dois.

Os brasileiros chegaram invictos à final. E entraram em campo vestindo o uniforme azul. Mas a sorte não mudou por causa disso. Contra a Suécia, Liedholm, Vavá, Pelé, Zagallo e Simonsson marcaram os gols da vitória. O quinto gol saiu dos pés de Pelé aos 45 minutos do segundo tempo.

  • O Brasil se tornou o primeiro país a vencer uma Copa fora do seu continente.
  • Durante a comemoração do título, o capitão da Seleção Brasileira, Bellini, ergueu a taça acima da cabeça.
  • Foi a primeira vez que um jogador fez esse gesto em uma premiação do Mundial.
  • O Brasil foi ao Mundial com a numeração das camisas diferente do que era habitual.

Há uma versão de que a delegação brasileira não enviou os números previamente e a Fifa teria feito a distribuição de forma aleatória. Pelé, com apenas 17 anos, ficou com a camisa 10 e fez desse número algo muito especial ao se tornar o jogador mais jovem a ganhar uma Copa do Mundo.

História Hoje Redação : Beatriz Evaristo Apresentação : Dilson Santa Fé Sonoplastia : Jailton Sodré Edição : Sheily Noleto Publicação web : Patrícia Serrão

: História Hoje: Primeiro título do Brasil na Copa do Mundo

Qual é o maior campeão do Mundo?

Lista dos maiores campeões do Mundial de Clubes (desde 1960): 8 TÍTULOS Real Madrid (1960, 1998, 2002, 2014, 2016, 2017, 2018 e 2022) 4 TÍTULOS Milan (1969, 1989, 1990 e 2007) Bayern de Munique (1976, 2001, 2013 e 2020) 3 TÍTULOS Barcelona (2009, 2011 e 2015) São Paulo (1992, 1993 e 2005) Inter de Milão (1964, 1965 e 2010) Boca Juniors (1977, 2000 e 2003) Peñarol (1961, 1966 e 1982) Nacional (1971, 1980 e 1988) 2 TÍTULOS Juventus (1985 e 1996) Santos (1962 e 1963) Corinthians (2000 e 2012) Independiente (1973 e 1984) Manchester United (1999 e 2008) Ajax (1972 e 1995) Porto (1987 e 2004) 1 TÍTULO Atlético de Madrid (1974) Internacional (2006) Grêmio (1983) Flamengo (1981) River Plate (1986) Estudiantes (1968) Racing (1967) Vélez Sarsfield (1994) Borussia Dortmund (1997) Liverpool (2019) Feyenoord (1970) Estrela Vermelha (1991) Olimpia (1979) Chelsea (2021) Com oito títulos, o Real Madrid é o maior campeão do Mundial de Clubes.

  1. O clube espanhol conquistou o torneio cinco vezes nas últimas décadas e ultrapassou o Milan, que aparece como segundo maior campeão com quatro conquistas.
  2. O Bayern de Munique venceu a edição de 2020 e também aparece na segunda posição.
  3. O São Paulo é o clube brasileiro como mais títulos mundiais, com um total de três conquistas: 1992, 1993 e 2005.

Santos (1962 e 1963) e Corinthians (2000 e 2012) têm dois troféus cada, enquanto Flamengo (1981), Grêmio (1983) e Internacional (2006) contam com um título. Relembre todos os campeões mundiais desde 1960: Copa Intercontinental 1960: Real Madrid 1961: Peñarol 1962: Santos 1963: Santos 1964: Inter de Milão 1965: Inter de Milão 1966: Peñarol 1967: Racing 1968: Estudiantes 1969: Milan 1970: Feyenoord 1971: Nacional-URU 1972: Ajax 1973: Independiente 1974: Atletico de Madrid 1976: Bayern de Munique 1977: Boca Juniors 1979: Olimpia 1980: Nacional-URU 1981: Flamengo 1982: Peñarol 1983: Grêmio 1984: Independiente 1985: Juventus 1986: River Plate 1987: Porto 1988: Nacional-URU 1989: Milan 1990: Milan 1991: Estrela Vermelha (Iugoslávia) 1992: São Paulo 1993: São Paulo 1994: Vélez Sársfield 1995: Ajax 1996: Juventus 1997: Borussia Dortmund 1998: Real Madrid 1999: Manchester United 2000: Boca Juniors 2001: Bayern de Munique 2002: Real Madrid 2003: Boca Juniors 2004: Porto Mundial de Clubes da Fifa 2000: Corinthians 2005: São Paulo 2006: Internacional 2007: Milan 2008: Manchester United 2009: Barcelona 2010: Inter de Milão 2011: Barcelona 2012: Corinthians 2013: Bayern de Munique 2014: Real Madrid 2015: Barcelona 2016: Real Madrid 2017: Real Madrid 2018: Real Madrid 2019: Liverpool 2020: Bayern de Munique 2021: Chelsea A taça do Mundial de Clubes (Foto: divulgação)

O que é o melhor time do Brasil?

O clube brasileiro com a melhor colocação é o Flamengo. O Rubro-Negro está na 6ª posição – era o 3º anteriormente. O Palmeiras também é o outro time do Brasil que faz parte do top 10 do ranking.

Qual a seleção mais respeitada do Mundo?

Seleção brasileira continua na liderança do ranking, seguida pela da Argentina, atual campeã mundial.

Quem mais tem Libertadores?

Quem é o maior campeão da Libertadores? – O maior campeão da Libertadores é o Club Atlético Independiente (ARG) com sete títulos.

Quantas vezes o Brasil já perdeu a Copa do Mundo?

Desde 2006, na Copa do Mundo na Alemanha, o Brasil é eliminado por seleções europeias. Além da Bélgica em 2018, o Brasil perdeu para a França em 2006, nas quartas de final em 2006, para a Holanda, também nas quartas em 2010, e para a Alemanha, em 2014, na semifinal.

Quem já eliminou o Brasil na Copa?

Argentina (1978 e 1990) Alemanha (2014) Bélgica (2018) Croácia (2022)

Qual é o clube mais famoso do mundo?

30 May, 2012 Siga Fernando A Fleury no twitter @f_fleury ou em outras redes Sei que o tema é polêmico, mas antes de inundarem os comentários com gritos histéricos vale apena dar uma lida no post por complete ;o) Segundo pesquisa realizada para Kantar o principal clube inglês: Manchester United é também o clube com mais torcedores espalhados mundo a fora. Tal número parece um exagero, principalmente se analisarmos que em 2007, segundo a mesma fonte, os Diabos Vermelhos não possuíam nem metade deste número em pesquisa do gênero. Pior, se levarmos o número a sério os Reds Devils possuem o dobro de fãs de outros grandes times do mundo como: Barcelona, Real Madrid e Chelsea.

A Kantar afirma que o time inglês possui 71 milhões de torcedores nas Américas, 90 milhões na Europa, 173 milhões no Oriente Média e África e 325 milhões na Ásia – incluindo aí 108 milhões de torcedores apenas na China. Os números da pesquisa são grandes, não apenas na avaliação final, mas também no número de entrevistados: 54 mil pessoas em 39 países, espalhados em cinco continentes.

Em recente avaliação realizada pela Forbies ( leia aqui ) o time inglês foi apontando como o clube mais valioso do mundo (US$ 2,24 bilhões) e sua marca foi estimada, na mesma avaliação, em US$ 293 milhões. Um dos grandes destaques do Manchester United, que pode ter ajudada na questão da representatividade mundial do clube, é sua TV.

  1. A MUTV foi lançada em 1996 e hoje está presente em 54 países, alcançado cerca de 1,2 bilhões de pessoas.
  2. Apesar de seus principais rivais (Arsenal, Liverpool, Chelsea, Barça) também possuírem estratégias de TV semelhantes o grande diferencial dos Diabos Vermelhos está na gestão da TV.
  3. Enquanto os clubes rivais terceirizam sua programação para agências como a IMG o ManUn cancelou o contrato com a própria IMG há 18 meses e desde então vem aumentando o número de países que recebem sua programação ao vivo tais como: Indonésia e Tailândia.
See also:  O Que Democracia?

E os números devem ficar ainda maiores quando a MUTV puder transmitir ao vivo seus jogos para China e Índia que, hoje, estão proibidos de receber a transmissão das partidas devido a contratos de transmissão com outras operadores. E que fique claro: A Kantar é, apesar do que possa parecer, uma empresa respeitada no Reino Unido na área de pesquisa. Fernando Fleury 06 Dec, 2019 Tem muito o que se falar sobre o caso do sócio torcedor do Vasco da Gama. Podemos questionar muitas coisas, como por exemplo a capacidade de continuação do engajamento dos torcedores ou o fluxo financeiro continuo ao longo dos próximos meses.

Mas a verdade é uma só neste momento: O orgulho vascaíno está em alta e com toda razão Se dentro de campo os times cariocas sofrem com a sensação Flamengo, fora dele a torcida vascaína pode encher o peito e se orgulhar dos 150 mil sócios torcedores e de, hoje, serem a líderes no ranking dos projetos de sócio torcedor no Brasil.

Parece pouco, mas não é Quando falamos de marketing nem sempre falamos de retorno financeiro direto. Claro que, neste caso, também temos um retorno financeiro. Antes da chamada black friday o programa arrecadava R$ 1,3 milhões por mês e agora passa arrecadar pouco mais de R$ 2,5 milhões.

Mas, o grande ganho esta na mobilização da torcida e na sensação que o torcedor teve de se tornar parte de uma conquista importante do time. E se boa parte não voltar a pagar? A campanha foi bem pensada. O plano foi realizado por um valor baixo, mas com pagamento semestral. Então. até Junho do ano que vem o gigante da colina não terá problema neste quesito.

Mas vamos supor que 50% dos torcedores resolvam não renovar seu plano. O que eu, pessoalmente, acho um número improvável. O Vasco manteria, ainda assim, cerca de 75 mil sócios torcedores. Mais do que o dobro dos 32 mil que o programa tinha cadastrado até o inicio de novembro. Em suma, a ação pode render um bom dinheiro aos cofres do Vasco (R$ 12 milhões ano por baixo), mas o principal aspecto, como efeito de marketing é que colocou o Vasco de volta a vitrine, mostrou que seu torcedor, mesmo após anos tão duros ainda esta aí, vivo, e resgatou aquele sentimento de orgulho que todo torcedor gosta de sentir. Fernando Fleury 04 Nov, 2019 Por mais que os clubes e a imprensa tentem as discussões que cerceiam o futebol brasileiro estão longe do centro do que por natureza se entendo por marketing. Podemos definir marketing como: “uma função organizacional e um conjunto de processos que envolvem a criação, a comunicação e a entrega de valor para os clientes, bem como a administração do relacionamento com eles de modo que beneficie a organização e seu público interessado”.

Apesar das características próprias, o marketing esportivo pouco difere do marketing a não ser nas peculiaridades do segmento esportivo, que envolvem aspectos como produto, demanda, desejo, necessidade, valor, satisfação, qualidade e mercado. O marketing esportivo é uma extensão das estratégias de praça e promoção de empresas de bens e/ou serviços esportivos.

Ao ampliar a análise para qualquer empresa de produtos e/ou serviço, é possível avaliar o marketing esportivo como sendo, também, ação promocional para divulgação da marca. Em suma, podemos definir o marketing esportivo como: ” um processo de elaboração e programação das atividades de produção, formação de preço, promoção e distribuição de um produto esportivo para satisfazer a necessidades ou desejos dos consumidores e atingir os objetivos das empresas. vendas e marketing Ao centrarmos as discussões atuais em balanços ou fechamentos de patrocínios não estamos falando de estratégias de marketing e sim e questões financeiras e comerciais no Brasil. São assuntos importantes, porém distintos da atuação de uma diretoria de marketing.

De modo mais claro. os objetivos de um departamento de marketing não deveriam estar relacionados diretamente à trazer patrocínio para um time, por exemplo. Objetivos específicos de um departamento de marketing, de equipes esportivos, seriam: aumento de vendas de produtos relacionados; crescimento da torcida; fortalecimento da marca; aumento do público no estádio; divulgação de produtos e serviços; entre outros Já o patrocínio pode ser definido como um produto gerado pelo marketing que deverá ser trabalhado pelo departamento comercial para trazer receitas para o time.

Que depois entrará no balanço da equipe e será analisado pelo departamento financeiro. Nas próximas colunas falaremos um pouco mais sobre as atividades de marketing das equipes esportivas e o que vem faltando aqui no Brasil. Fonte: Fernando A. Fleury Fernando Fleury 02 Jan, 2019 Quando falamos em números e padrões no esporte automaticamente as pessoas pensam em táticas, sistemas de jogos ou treinamentos. Mas, para nós que trabalhamos com Data Science isso nem sempre é verdade. Em nossos laboratórios passa longe de ser verdade,

Passamos 100% do tempo estudando números e padrões para entender você. Exatamente. Entender você que está lendo está coluna. Um clique seu, um olhar para o lado e assim por diante. São pequenas relações, que muitas vezes podem parecer insignificantes para você, mas que nós vamos achar pontos de ligação e significados e com isso identificar caminhos que levarão a resultados positivos para todos: Times, patrocinadores e você, torcedor.

A campanha de lançamento da parceria Puma/Palmeiras é um modelo que mostra como analisar números funciona. A ideia de não usar a cor do rival não é algo que funciona para qualquer time, muito menos para qualquer cor. Transformar o verde esperança em verde de inveja é uma ideia muito boa para a torcida do Palmeiras. hábito dos torcedores brasileiros www.armatorems.com Porém vamos lembrar que a campanha é feita para os palmeirenses, não é uma campanha do Palmeiras, É uma homenagem. E aí vale ver o índice de torcedores do Palmeiras que deixariam de usar outras cores (bem baixo) e de torcedores rivais que deixam de usar o verde (bem acima da média). torcedores que evitam usar as cores do rival www.armatorems.com A sabedoria do Data Science é essa. Usar números a favor de todos. A partir de hoje falaremos bastante disso por aqui. Fonte: Fernando A. Fleury Fernando Fleury 04 Sep, 2017 Por Fernando A. Fleury, Sc.D in Sport Management & Pedro Corat Acesse Sport Marketing Science no facebook Quem acompanha o noticiário esportivo percebe o espaço cada vez mais amplo de temas que fogem do Brasileirão, dos estaduais ou da Copa do Brasil.

O futebol jogado fora daqui, sobretudo na Europa, bem como outras modalidades, como a NBA e a NFL, vêm crescendo em mídia e interesse do público brasileiro. Esse interesse vem despertando uma série de análises que mostram que muitos dos adolescentes já começam a torcer por times estrangeiros ao invés dos tradicionais times nacionais.

Duas pesquisas do IBOPE Repucom, uma de 2015 e outra de 2016, trazem informações que deveriam preocupar os departamentos de marketing dos times nacionais.69% dos entrevistados entre 16 e 29 torcem por algum time europeu de futebol. E 21% dos internautas brasileiros leem a respeito da NFL diariamente.

Em cima disso resolvemos entender se esse desejo por esportes e times estrangeiros é real. Ou seja, será que podemos comparar a força com que nós brasileiros torcemos pelos times estrangeiros com a forma como torcemos para os times nacionais? Esta indagação foi o objeto de estudo da pesquisa que realizamos.

O foco da pesquisa não foi apenas o futebol, mas sim torcedores de times estrangeiros, independentemente da modalidade. Natural, portanto, que a amostra tivesse alcance em duas frentes: fãs de times estrangeiros e fãs das ligas norte-americanas, Ao final, chegamos a algumas conclusões intrigantes: Entre elas a de que sim, existem brasileiros torcedores de times fora do futebol local.

Torcedores no sentido real da palavra. Ou seja, existe um grupo de torcedores que demostram se identificarem com os times estrangeiros tanto ou quanto os que se identificam com os times nacionais. Assim, existe uma geração de torcedores em formação que está sendo condicionada a preferir esportes que nunca fizeram parte do nosso dia-a-dia, por exemplo, NFL ou MLB.

Se a modalidade continua sendo o futebol os times europeus também possuem espaço garantido na mente desta geração. A partir da análise sociodemográfica dos respondentes, identificamos o perfil do tipo fã esportivo: o típico torcedor brasileiro é homem, tem entre 26 e 30 anos, possui renda familiar mensal entre R$ 3.000,00 e R$ 5.000,00, cursa ensino superior e possui TV por assinatura, mas não o pacote pay-per-view de esportes disponível na operadora.

A pesquisa não investigou os motivos que fazem um brasileiro, vivendo a milhares de quilômetros da sede do time, que talvez nunca o veja atuar de perto, se emocionar, consumir, interagir com os demais torcedores de clubes seja do futebol europeu, seja da NBA, da NFL ou da MLB. Nosso objetivo era entender se os sentimentos que os torcedores de times estrangeiros possuem ou demonstram possuir por seu times são iguais aos dos que se declaram torcedores de times brasileiros.

Porém podemos inferir uma série de razões para tal fato. Uma delas pode estar no próprio futebol brasileiro. Com a carência de conquistas recentes pela seleção e por boa parte dos clubes, o torcedor se viu carente de comemorações, procurando por êxitos em outras searas para não abandonar sua sensação de pertencimento a algum grupo esportivo.

See also:  Quando A Lua Crescente?

A falta de ídolos locais visto que nossos melhores atletas se encontram fora do país também pode ser uma das causas. O centro da investigação foi verificar se o fenômeno é real do ponto de vista do amor e do envolvimento dos torcedores com os times. Entre os itens pesquisados, encontravam-se o amor ao time – conceito transposto do brand love (amor à marca, isto é, o envolvimento emocional de indivíduos com marcas), a identificação com o time (o quão envolvido, do ponto de vista psicossocial, o torcedor é com seu time), e a intenção de compra (o quão disposto o torcedor está em adquirir itens com a marca do seu time).

Para desespero dos times nacionais e dos defensores do futebol raiz uma péssima notícia. O esporte nutela vem ganhando terreno. Os resultados confirmaram não haver diferença no brand love e na identificação com o time entre os dois grupos (torcedores de times locais e de times estrangeiros). Identificação com o time Pedro Corat & Fernando A. Fleury Amor ao time Pedro Corat & Fernando A. Fleury

Quem é o maior time da Europa?

Real Madrid O clube venceu também, no século XX, 8 títulos da Liga dos Campeões da UEFA, sendo assim recordista, 2 da Copas da UEFA, 2 Copas Intercontinentais e 17 Copas do Rei.

Quem foi o primeiro clube a ser campeão mundial?

Torneio Internacional de Clubes Campeões de 1951
Copa Rio
Taça do Campeão da Copa Rio de 1951
Dados
Participantes 8
Organização CBD – América do Sul (ao lado de Manuel Caballedón da AUF ) Ottorino Barassi – Europa – ao lado de Stanley Rous e do cônsul Sotero Cosme (trio formador da comissão organizadora da Copa do Mundo de 1950 ) FIFA e IFAB (autorização de Jules Rimet e auxílio)
Anfitrião Brasil
Período 30 de Junho – 22 de Julho
Gol(o)s 68
Partidas 18
Média 3,78 gol(o)s por partida
Campeão Palmeiras (1º título)
Vice-campeão Juventus
Melhor marcador Boniperti ( Juventus ) – 6 gols
Público 664 957
Média 36 942,1 pessoas por partida
1952 ►►

/td>

O Torneio Internacional de Clubes Campeões de 1951, nome oficial pela CBD, também conhecido como Torneio Internacional de Clubes Campeões – Copa Rio, Copa Rio, Campeonato Mundial de Futebol, Torneio Mundial de Campeões, Torneio Internacional de Campeões, e chamado de Torneio dos Campeões na França, Espanha, Portugal e na Itália também de Copa dos Campeões, foi um torneio internacional de clubes disputado por 8 equipes da Europa e América do Sul entre 30 de junho e 22 de julho de 1951 em São Paulo e no Rio de Janeiro, nos estádios do Pacaembu e Maracanã, respectivamente.

  1. A competição foi conquistada pelo Palmeiras, do Brasil, e teve a Juventus, da Itália, como vice-campeã.
  2. A importância da Copa Rio de 1951 está vinculada ao fato de ter sido a primeira competição futebolística interclubes com abrangência mundial, tendo sido criada antes mesmo da Copa Intercontinental,

O renomado jornalista Nelson Rodrigues, irmão do idealizador Mário Filho, a definiu como “um acontecimento do futebol mundial”. A competição foi organizada pela Confederação Brasileira de Desportos, com auxílio e chancela da FIFA, e tinha este nome no troféu por ter sido patrocinada pela Prefeitura do Rio de Janeiro,

A FIFA declara que o Palmeiras é detentor do título da primeira competição mundial entre clubes da história. Aprovado pelo Comitê Executivo da FIFA em 7 de junho de 2014. Entretanto, não alterando a nomenclatura e nem unificando a competição com a atual Copa do Mundo de Clubes da FIFA, assim como a entidade também faz com a Copa Intercontinental nas suas reportagens.

A partir de 2017 até o início de 2021, a entidade tinha deixado de fazer menção sobre a condição de mundial do Torneio Internacional de Clubes Campeões de 1951, apesar da decisão de reconhecimento outorgado por seu Comitê Executivo não ter sido revogada.

Com a entidade passando a tratar a competição, nesse período, como o “primeiro torneio intercontinental de clubes”. Porém, a FIFA voltou a repostar, em janeiro de 2021, a matéria de 2016 onde a entidade empregou o termo mundial para designar a conquista palmeirense. Em seguida, ela divulgou uma matéria sobre os grandes times do Palmeiras ao longo do século XX, dando destaque para o Torneio Internacional de Clubes Campeões, onde é citado os três principais dirigentes da FIFA na época, incluindo o presidente Jules Rimet, no sonhado campeonato mundial realizado em 1951 e, também, repostou pela segunda vez a matéria de 2016 com o termo mundial.

Um ano depois, em fevereiro de 2022, a FIFA voltou a tratar o Palmeiras como campeão mundial em 1951.

Qual time argentino tem mais mundial?

Boca Juniors – 3 títulos (1977, 2000 e 2003)

Qual é o país que tem mais mundiais do mundo?

Franceses se igualam a argentinos e uruguaios em ranking de Mundiais – Por Alexandre Lozetti, Amanda Kestelman e Martín Fernandez — Moscou, Rússia 15/07/2018 13h53 Atualizado 26/10/2018 1 de 4 Campeões mundiais: veja lista de títulos da Copa do Mundo Matthias Hangst/Getty Images A França é a nova bicampeã do mundo! Com a vitória por 4 a 2 sobre a Croácia em Moscou, na Rússia, neste domingo, a seleção francesa se igualou às da Argentina e do Uruguai, deixando Espanha e Inglaterra para trás.

País Títulos
Brasil 5 (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002)
Alemanha 4 (1954, 1974, 1990 e 2014)
Itália 4 (1934, 1938, 1982 e 2006)
Argentina 2 (1978 e 1986)
França 2 (1998 e 2018)
Uruguai 2 (1930 e 1950)
Espanha 1 (2010)
Inglaterra 1 (1966)

Classificação final das Copas do Mundo

Ano Campeão Vice 3º lugar 4º lugar
1930 Uruguai Argentina Estados Unidos Iugoslávia
1934 Itália Tchecoslováquia Alemanha Áustria
1938 Itália Hungria Brasil Suécia
1950 Uruguai Brasil Suécia Espanha
1954 Alemanha Hungria Áustria Uruguai
1958 Brasil Suécia França Alemanha
1962 Brasil Tchecoslováquia Chile Iugoslávia
1966 Inglaterra Alemanha Portugal União Soviética
1970 Brasil Itália Alemanha Uruguai
1974 Alemanha Holanda Polônia Brasil
1978 Argentina Holanda Brasil Itália
1982 Itália Alemanha Polônia França
1986 Argentina Alemanha França Bélgica
1990 Alemanha Argentina Itália Inglaterra
1994 Brasil Itália Suécia Bulgária
1998 França Brasil Croácia Holanda
2002 Brasil Alemanha Turquia Coreia do Sul
2006 Itália França Alemanha Portugal
2010 Espanha Holanda Alemanha Uruguai
2014 Alemanha Argentina Holanda Brasil
2018 França Croácia Bélgica Inglaterra

2 de 4 Mbappé, da França, comemora gol na final contra a Croácia — Foto: Shaun Botterill/Getty Images Mbappé, da França, comemora gol na final contra a Croácia — Foto: Shaun Botterill/Getty Images 3 de 4 Pogba comemora gol contra a Croácia — Foto: REUTERS/Maxim Shemetov Pogba comemora gol contra a Croácia — Foto: REUTERS/Maxim Shemetov 4 de 4 Jogadores da França comemoram um dos gols contra a Croácia na final da Copa do Mundo — Foto: Reuters Jogadores da França comemoram um dos gols contra a Croácia na final da Copa do Mundo — Foto: Reuters : Campeões mundiais: veja lista de títulos da Copa do Mundo

Quais são os países que têm mais mundiais?

O ranking de maiores campeões é liderado pelo Brasil, com 5, seguido por Alemanha e Itália, ambas com 4, e agora por Argentina, com 3. A França tem 2, assim como o Uruguai, enquanto Espanha e Inglaterra têm 1 cada.

Qual é o país que tem mais mundiais?

Quais são os maiores campeões da Copa do Mundo? – Até então, quem tem mais Copa do Mundo é o Brasil, com 5 títulos. Em segundo lugar no ranking estão as seleções da Itália e Alemanha, no qual ambas venceram quatro edições do torneio.

Qual o país que tem mais Mundial de Clubes?

Por confederação –

Confederação Títulos Vices 3º lugar 4º lugar
UEFA 35 (1960, 1964, 1965, 1969, 1970, 1972, 1974, 1976, 1985, 1987, 1989, 1990, 1991, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2001, 2002, 2004, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019, 2020, 2021 e 2022) 26 (1951, 1961, 1962, 1963, 1966, 1967, 1968, 1971, 1973, 1977, 1979, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984, 1986, 1988, 1992, 1993, 1994, 2000, 2003, 2005, 2006 e 2012) 2 (1951 e 2000 )
CONMEBOL 27 (1951, 1961, 1962, 1963, 1966, 1967, 1968, 1971, 1973, 1977, 1979, 1980, 1981, 1982, 1983, 1984, 1986, 1988, 1992, 1993, 1994, 2000, 2000, 2003, 2005, 2006 e 2012) 31 (1960, 1964, 1965, 1969, 1970, 1972, 1974, 1976, 1985, 1987, 1989, 1990, 1991, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2004, 2007, 2008, 2009, 2011, 2014, 2015, 2017, 2019 e 2021) 6 (1951, 2010, 2013, 2016, 2018 e 2022) 1 (2020)
AFC 3 (2016, 2018 e 2022) 5 (2007, 2008, 2009, 2011 e 2015) 8 (2005, 2010, 2011, 2013, 2015, 2017, 2018 e 2019)
CAF 2 (2010 e 2013) 2 (2006 e 2020) 3 (2007, 2012 e 2022)
CONCACAF 1 (2020) 5 (2000, 2005, 2012, 2017 e 2019) 5 (2006, 2008, 2009, 2014 e 2016)
OFC 1 (2014)