Quem Você Alasca Pdf?

Quantas páginas tem Quem é você, Alasca?

Brochura.230 páginas.

Onde encontrar Quem é você, Alasca?

Quem é você, Alasca?: Edição comemorativa de 10 anos | Amazon.com.br.

Quem é você, Alasca tem na Netflix?

Minissérie Quem é você, Alasca?, adaptada do livro de mesmo nome de John Green, entrou no catálogo da HBO Max – Atualizada em 21/08/2021 – 12:34hs BRT © Divulgação/Hulu ‘Quem é você, Alasca?’ entrou no catálogo da HBO Max A minissérie Quem é você, Alasca? (Looking for Alaska, no título original), baseada no livro homônimo de John Green, entrou no catálogo da HBO Max, A obra, lançada nos Estados Unidos em 2019, foi adaptada para o Hulu pelo produtor e roteirista norte-americano Josh Schwartz.

Em affair, MC Daniel posta vídeo com Yasmin Brunet em sua casa Jennifer Aniston tem sofrido bastante com a morte de Matthew Perry

O drama acompanha a história de Miles ‘Pudge’ Halter (Charlie Plummer), um adolescente obcecado pelas últimas palavras de pessoas famosas. Cansado da monotonia, o jovem conhece a ousada Alasca Young (Kristine Froseth), que chega para bagunçar sua vida e seus sentimentos.

Quem é você, Alasca desfecho?

Ocorreu um problema para filtrar as avaliações agora. Tente novamente mais tarde. – Avaliado no Brasil em 3 de março de 2023 O livro chegou, e veio com poucas marcas de uso, nada que impeça de lê-lo, a levar pelo preço, está ótimo. Porém, comprei o de capa dura, que custa 16,00, mas ao chegar era capa mole 🤡 sim, odiei isto. 3,0 de 5 estrelas Livro bom para o preço, qualidade boa para o preço também. Tem lá seus altos e baixos. Avaliado no Brasil em 3 de março de 2023 O livro chegou, e veio com poucas marcas de uso, nada que impeça de lê-lo, a levar pelo preço, está ótimo.

  1. Porém, comprei o de capa dura, que custa 16,00, mas ao chegar era capa mole 🤡 sim, odiei isto.
  2. Mas tudo bem.
  3. E vale lembrar que enviaram como cartão postal, e por isso não deu pra acompanhar o produto.
  4. Comprei dia 20/02 e chegou hoje 02/03.
  5. Tentei entrar em contato com o Instagram da livraria, mas não obtive nenhum sequer tipo de resposta do mesmo Enfim, é isto.

Imagens nesta avaliação Avaliado no Brasil em 20 de abril de 2015 O livro é bom. Muito bem escrito, leitura fácil e envolvente. O livro cresce, chega ao seu clímax e. não tem desfecho. Veja, o próprio personagem faz, literalmente, uma conclusão da obra. Ela não tem um desfecho apropriado, então, para não deixar o leitor com aquela sensação de “cadê o final?”, ele faz essa “explicação” do que ele quis com o enredo apresentado.

  1. É um livro bastante infantojuvenil.
  2. Serve para instigar os jovens sobre a existência da religião e sua correlação com a vida e o sofrimento.
  3. Se valeu a pena a leitura? Sim, toda leitura é válida e entendo que esse livro traz uma visão de ensinamento religioso que ainda é precário em países como Brasil.

A religião vista como ciência e não como doutrina religiosa. Aprender todas as religiões (ou as principais) e ver o que elas podem acrescer no nosso dia a dia, sem aquela conotação da “fé” ou “cresça”. Se eu leria novamente? Não. É um livro bastante superficial e introdutório.

Não é um livro que demanda muito conhecimento ou uma releitura para sua compreensão. Avaliado no Brasil em 26 de novembro de 2022 Comprei em um sebo daqui da Amazon pq na época tava mais barato, mas imaginei que viesse om a capa do anúncio e não foi o que aconteceu, tem uns arranhos/riscos na capa e algumas manchinhas na lateral das páginas.mas o livro é bom e pelo preço não dá pra esperar o melhor Avaliado no Brasil em 27 de março de 2023 Avaliado no Brasil em 19 de fevereiro de 2017 Estava curiosa com esse livro por já ter lido alguns comentários positivos! A minha experiência talvez não te motive muito, eu achei a leitura gostosa desses amigos que claramente mostra a lealdade entre eles e o toque de rebeldia que todos nós um dia tivemos ou como o personagem principal gostaria de ter.

O livro a primeiro momento me envolveu, porém depois de mais da metade do livro acontece um fato que para mim deixou a leitura chata. Li páginas desejando que aquilo fosse desvendado logo ou acontecesse qualquer outra coisa para sair daquela “ladainha”, desvendando e chegando ao final do livro não me surpreendeu em nada, queria tanto que aquelas páginas frustrantes tivessem valido a pena com o fim e infelizmente não aconteceu.Não é ruim, porém, minha recomendação é se você tem grandes expectativas deixe elas abaixarem para ao fim você achar o livro um pouco mais legal do que eu achei.

  • Avaliado no Brasil em 21 de novembro de 2022 Do primeiro livro a gente nunca esquece! Essa obra-prima me ensinou a gostar de ler.
  • Avaliado no Brasil em 10 de setembro de 2021 Conteúdo incrível e envolvente, toda a contagem regressiva de dias no decorrer do livro faz você ficar vidrado.
  • Li em um dia com muita facilidade, montanha russa de emoções e com certeza um dos meus favoritos da vida.

Quanto ao físico a capa tem um aspecto emborrachado muito bonito, a embalagem veio rasgada mas mesmo assim veio intacto. Avaliado no Brasil em 14 de setembro de 2018 A primeira vista parece ser só mais um drama adolescente, mas consegue evocar identificação e empatia com os personagens e seus dramas.

Qual a idade para ler quem é você Alasca?

Informações sobre o produto

Editora ‎Intrínseca; 1ª edição (8 setembro 2014)
Capa comum ‎272 páginas
ISBN-10 ‎8580575990
ISBN-13 ‎978-8580575996
Idade de leitura ‎Idade sugerida pelo cliente: 14 anos e acima

Quem é você Alasca idade para ler?

Informações sobre o produto

Editora ‎Intrínseca; Edição comemorativa de 10 anos (17 junho 2015)
Capa comum ‎336 páginas
ISBN-10 ‎8580576830
ISBN-13 ‎978-8580576832
Idade de leitura ‎Idade sugerida pelo cliente: 14 anos e acima

Quem é você Alasca frase?

As melhores frases de “Quem é Você Alasca?” Um dos meus livros favoritos de John Green, “Quem é Você Alasca?” é recheado de quotes pra gente se inspirar e anotar. “Eu queria ser seu último amor. Mas sabia que não era. Sabia e a odiava por isso. Eu a odiava por não se importar comigo. Eu a odiava por ter me deixado naquela noite.” “Chega uma hora em que é preciso arrancar o Band-Aid. Dó, mas pelo menos acaba de uma vez e ficamos aliviados.” “Ouvir em silêncio – era meu modo de conviver em sociedade.” “Não posso ser uma dessas pessoas que ficam sentadas falando que pretendem fazer isso e aquilo.

Eu vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia.” “Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.” “Se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão.” “O que estava sentindo não era bem tristeza, era dor.

Aquilo doía e não é um eufemismo. Doía como surra.” “Tudo que é construído termina por desmoronar.” “Se pararmos de desejar que as coisas perdurem, não iremos sofrer quando elas desmoronarem.” “Se ao menos conseguíssemos enxergar as infinita cadeia de consequências que resulta das nossas pequenas decisões. “Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer.” “Você não pode me mudar e depois ir embora.” “Eu queria tanto me deitar ao lado dela, envolvê-la em meus braços e adormecer. Não queria transar, como nos filmes. Nem mesmo fazer amor. Só queria dormir com ela, no sentido mais inocente da palavra.” “A tristeza não nos muda, ela nos revela” “O medo é a desculpa que todo mundo sempre dá.” “Eu tento ser corajosa, sabe? Mesmo assim continuo estragando tudo.”

See also:  Dulcolax Para Que Serve?

“Ouvir em silêncio era meu modo de conviver em sociedade.” “Vou em busca de um Grande Talvez.”” Não sabia se podia confiar nela e já estava cansado de sua imprevisibilidade – fria num dia, meiga no outro; irresistivelmente sedutora num momento e insuportavelmente chata no outro. “

: As melhores frases de “Quem é Você Alasca?”

Quem é você Alasca nome em inglês?

Looking for Alaska (Quem é Você, Alasca? ou À Procura de Alaska PRT ) é um romance publicado em 2005, sendo o primeiro do escritor estadunidense John Green.

Quem é você Alasca tem filme?

O filme é baseado no livro Quem é Você, Alasca?. No entanto, o autor da obra, John Green, revelou em sua rede social em 2016 que o longa não será mais realizado. Os direitos do livro seguem com o estúdio Paramount Pictures, que ainda não divulgou quais os próximos planos.

Quem é você Alasca na Amazon?

Primeira cerveja. Primeiro trote. Primeiro amigo. Primeiro amor. Últimas palavras. Vencedor do Printz Award, da American Library Association, e estreia de John Green como uma das vozes mais cativantes e inovadoras da ficção contemporânea, Quem é você, Alasca? retrata brilhantemente o impacto indelével que uma vida pode exercer sobre outra.

  1. Miles Halter estava em busca de um Grande Talvez.
  2. Alasca Young queria saber como sair do labirinto.
  3. Suas vidas se colidiram na Escola Culver Creek, e nada nunca mais foi o mesmo.
  4. Mas antes, um breve resumo de como tudo aconteceu: Miles Halter vivia uma vidinha sem graça e sem muitas emoções (ou amizades) na Flórida.

Ele tinha um gosto peculiar: memorizar as últimas palavras de grandes personalidades da história. Uma dessas personalidades, François Rabelais, um escritor do século XV, disse no leito de morte que ia em “busca de um Grande Talvez”. Para não ter que esperar a morte para encontrar seu Grande Talvez, Miles decide fazer as malas e partir.

Ele vai para a Escola Culver Creek, um internato no ensolarado Alabama. Lá, ele conhece Alasca Young. Ela tem em seu livro preferido, O general em seu labirinto, de Gabriel García Márquez, a pergunta para a qual busca incessantemente uma resposta: “Como vou sair desse labirinto?” Inteligente, engraçada, louca e incrivelmente sexy, Alasca vai arrastar Miles para seu labirinto e catapultá-lo sem misericórdia na direção do Grande Talvez.

Miles se apaixona por Alasca, mesmo sem entendê-la, mesmo tentando sem sucesso decifrar o enigma indecifrável de seus olhos verde-esmeralda.

Quantas temporadas tem a Série Quem é você Alasca?

Minissérie Quem é você, Alasca?, adaptada do livro de mesmo nome de John Green, entrou no catálogo da HBO Max – Atualizada em 21/08/2021 – 12:34hs BRT © Divulgação/Hulu ‘Quem é você, Alasca?’ entrou no catálogo da HBO Max A minissérie Quem é você, Alasca? (Looking for Alaska, no título original), baseada no livro homônimo de John Green, entrou no catálogo da HBO Max, A obra, lançada nos Estados Unidos em 2019, foi adaptada para o Hulu pelo produtor e roteirista norte-americano Josh Schwartz.

Em affair, MC Daniel posta vídeo com Yasmin Brunet em sua casa Jennifer Aniston tem sofrido bastante com a morte de Matthew Perry

O drama acompanha a história de Miles ‘Pudge’ Halter (Charlie Plummer), um adolescente obcecado pelas últimas palavras de pessoas famosas. Cansado da monotonia, o jovem conhece a ousada Alasca Young (Kristine Froseth), que chega para bagunçar sua vida e seus sentimentos.

Quem é você Alasca wiki?

Enredo – Miles Halter leva uma vida sem graça e sem muitas emoções na Flórida, O garoto tem um gosto peculiar: memorizar as últimas palavras de grandes personalidades da história, e uma dessas personalidades, François Rabelais, um escritor do século XV, disse no leito de morte que ia em “busca de um Grande Talvez”.

Para não ter que esperar o próprio fim para encontrar seu Grande Talvez, Miles decide fazer as malas e partir. Ele vai para um internato no ensolarado Alabama, onde conhece Alasca Young. Ela tem em seu livro preferido, O General em Seu Labirinto, de Gabriel García Márquez, a pergunta para a qual busca incessantemente uma resposta: “Como vou sair desse labirinto?” Inteligente, engraçada, louca e incrivelmente sexy, Alasca vai arrastar Miles para seu labirinto e catapultá-lo sem misericórdia na direção do Grande Talvez.

Miles se apaixona por Alasca, mesmo sem entendê-la, mesmo tentando sem sucesso decifrar o enigma indecifrável de seus olhos verde-esmeralda.

O que acontece com Alasca no livro?

Não dá pra falar de Quem é você, Alasca? sem spoilers. Por isso, cuidado! Há spoilers. – Em abril, a Vitória me emprestou o livro Quem é você, Alasca?, do famoso John Green. Eu nunca havia lido nenhum livro do norte-americano queridinho das adolescentes e isso causou espanto nela. Fui induzida a trazer o livro pra casa sob o título de “livro preferido da vida da Vitória”, sem nenhuma pressão rsrs. E, num resumo bem direto e sem spoilers, o livro mostra o nosso protagonista e também narrador, Miles, indo estudar em uma escola diferente e longe dos pais, querendo aquilo que ele chama de “ir em busca do grande talvez”. Ele não gostava da vida que levava até então, sem amigos verdadeiros e sem aventuras para se lembrar.

See also:  Pular Corda Define O Corpo Em Quanto Tempo?

Ao chegar nessa nova escola, conheceu seu companheiro de quarto, apelidado de Comandante, que já logo determinou que o seu apelido seria Gordo, já que Miles era um garoto magricelo. Além do Comandante, Miles conhece também Takumi, Lara e, a mais importante estrela do livro, Alasca Young. Uma menina impulsiva, que carrega dores do passado consigo, como ter perdido a mãe muito nova (acho que vou deixar as circunstâncias de sua morte pra você ler no livro), que não tem tramelas na língua, nem no temperamento.

E assim, Miles começa a viver coisas junto dos seus novos amigos, como beber e fumar pela primeira vez, se envolver com uma garota e, o principal: se apaixonar. Ao se encantar por Alasca, seus livros, sua maneira de se jogar na vida, ele também acaba idealizando a garota que tem repentes de raiva e tristeza, momentos em que ela não faz questão de explicar os motivos pelos quais muitas vezes é egoísta ou hostil.

Só que aí chegamos ao grande momento da moda adolescente da literatura mundial: Alasca Young morre. Depois de sair correndo, alcoolizada e escondida do diretor da escola, rumo ao cemitério para levar flores para sua mãe, Alasca bate o carro que dirigia. Justo na noite em que Miles a havia beijado pela primeira vez.

Justo na noite em que ela havia dito que “continuariam depois”. Coincidentemente, ou não, um dia depois do aniversário de morte da mãe de Alasca. Por isso, inclusive, o livro é dividido em duas partes, sendo elas o antes e o depois — o antes de sua morte e o depois. Temos aqui alguns detalhes que permanecem como mistério: seria apenas os efeitos do álcool ou Alasca provocou o acidente como meio de se suicidar? Quem era Alasca Young, afinal? E eu preciso confessar: não chorei lendo Quem é você, Alasca? Mesmo tendo uma história delicada, mesmo sentindo durante a leitura, em alguns momentos, pesar as minhas reflexões sobre a morte e a maneira como ela torna a vida apenas um sopro, não pude deixar de reparar que li o querido John Green pela primeira vez no momento errado da vida.

Aos 15, esse livro poderia ter me parecido perfeito. Aos 25, me soou infantil — não em sua essência, mas em sua narrativa. Em muitos momentos, sentia a falta de mais detalhes, de mais profundidade. Queria saber mais, queria mais descrições, queria entrar mais nos cenários, nos psicológicos. Enquanto isso, muito me parecia, em vários momentos, um diário escrito por alguma criança.

Eu queria muito dizer para a Vitória que concordo com ela, mas não consigo. Infelizmente 2019 tem sido o ano das leituras atrasadas na vida, tendo eu lido em janeiro o famoso Mundo de Sofia e achado tedioso. Mas se eu puder dizer algo para Vitória, miga do coração, gostaria de dizer que quando eu tiver filhos, aos 15, eles lerão Quem é você, Alasca?.

No mais, apenas poderia deixar aqui outros dois pontos: 1 — Lerei A Culpa é das Estrelas para desencargo de consciência. Não quero dizer que não gosto de John Green quando, quem sabe, foi apenas um desencontro com essa obra em específico; 2 — Acho que não gosto de histórias em que alguém do casal morre, e isso não se resume ao John Green.

No filme Nasce uma Estrela eu também não chorei.

É você Alasca resumo?

Sinopse – Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras. Cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o “Grande Talvez”.

Quem é você, Alasca resumo do livro?

Miles Halter Tímido e sem amigos, ele passa a dividir um beliche com Coronel, um garoto que não perde tempo quando o assunto é diversão. Mas, ainda que passe por um perrengue ou outro, o internato é um novo começo para Miles: lá ele experimenta o primeiro cigarro, faz seu primeiro amigo e conhece seu primeiro amor.

Quem é você Alasca tem romance?

Looking for Alaska (Quem é Você, Alasca? ou À Procura de Alaska PRT ) é um romance publicado em 2005, sendo o primeiro do escritor estadunidense John Green.

Quem é você Alasca tem continuação?

John Green anuncia que Quem é você, Alasca? não será adaptado para os cinemas Deu ruim. Um dos livros mais queridos e mais vendidos de, Quem é você, Alasca? não vai mais ganhar uma adaptação cinematográfica. Parece que o público vai continuar sem saber quem é Alasca Young. John Green publicou uma série de mensagens em seu Twitter na tarde desta quinta-feira e declarou que qualquer projeto de adaptação não está mais em desenvolvimento.

“Já que isso tem tantos RTs, eu acho que devo dizer: Não haverá filme de Looking for Alaska (do meu conhecimento, pelo menos)”, escreveu ao dar um retweet em um cartaz feito por fã. “Eu não tenho controle sob os direitos do filme de Quem é você, Alasca?, Do meu conhecimento, a Paramount (que detém os direitos) não tem planos.” I have no control over the movie rights to Looking for Alaska.

To my knowledge, Paramount (who own the rights) have no plans to make a film. — John Green (@johngreen) 16 de junho de 2016 Na sua página do Tumblr, o autor respondeu a uma pergunta e detalhou os pormenores. “(.) escreveu um ótimo roteiro, o tipo de roteiro que é tão bom que nenhuma instituição pró-lucrativa investiria dez milhões de dólares para fazê-lo, então provavelmente nunca o será.

Isso me deixa triste? Não.(.) Quem é você, Alasca? tem uma vida incrível. As pessoas ainda o estão lendo pela primeira vez (.) e elas ainda recomendam aos amigos (.) Muitos dos leitores de Alasca sentem uma conexão intensa e particular com a história e os personagens, e eu estou extremamente grato por isso.

Caso eles fizessem o feito o filme, poderia ser brilhante, e certamente venderia muitos livros, mas os leitores inevitavelmente perderiam um pouco da conexão que têm com a história.” (.) Dito isso, se eles chegarem a fazer o filme, eu acho que pode ser um bom filme, e eu ficaria animado.

See also:  Quem Foi Para O ParedO?

O que é o labirinto de Quem é você, Alasca?

Últimas Palavras “Quem é você, Alasca?” do escritor americano John Green é o livro mais jovem na minha biblioteca do coração. Eu ganhei de presente a edição com a margarida na capa em 2014, minha amiga muito mais que querida Laura me deu. Eu o li na época, mas não senti nada demais.

Na real, achei o livro bobo e chato. Quatro anos depois reli a história em uma tarde de novembro de 2018, na praia. O barulho do mar, o cheiro da areia, o frescor do vento. Esse momento foi eternizado, assim como a leitura. Sou sincera quando digo que esse livro moldou o meu caráter. Eu tenho um ensaio sobre esse livro que eu escrevi na época em que reli.

Aquela foi a pior semana da minha vida, e aquele livro me salvou de ser ainda pior. Eu sou eternamente grata à esse autor. No livro, John Green mostra Alasca como uma deusa inalcançável. Sua narrativa é como uma cantiga de amor trovadora. É claro, isso é porque quem narra o livro é o Miles, e ele a enxerga assim.

Ano passado eu assisti a série, e consegui me apaixonar ainda mais. A adaptação mostra a história de um ponto de vista onisciente, e não mais tendencioso. A melhor cena que eu já li, que é a do celeiro, foi adaptada perfeitamente. Poucas coisas me emocionaram tanto nessa vida. Bom, eu posso passar o resto da noite falando sobre esse livro e como ele foi importante pra mim, mas eu quero analisar dois pontos específicos sobre ele e fazer um paralelo com a minha realidade atual.

Toda vez que penso em “Quem é você, Alasca?” eu não consigo deixar de associar ao contexto histórico da minha vida durante a leitura. Assim como todos os livros que eu já li, mas principalmente esse. Hoje eu percebi como minha realidade está semelhante a narrativa.

Primeiro, li “Cem anos de solidão” e “Doze contos peregrinos” semana passada. O que isso tem a ver? “O General em seu labirinto” era o livro favorito da Alasca. E um dos meus também. Eu venho criando um vínculo cada vez maior com o Gabo, e atualmente considero ele meu autor favorito. Assisto reportagens, ouço podcasts, leio, leio e leio sobre ele todos os dias desde o início da semana passada.

A frase mais marcante de “Quem é você, Alasca?” é “Como sairemos desse labirinto de sofrimento?”, as últimas palavras do general. Na época em que li o livro pela segunda vez fiquei tão extasiada que escrevi essa frase na minha cama. Não tem um mísero dia sequer que eu não olhe pra ela antes de dormir.

Um tempo depois eu li “O General em seu labirinto” e mais uma vez tive uma experiência inesquecível com uma obra literária. Apesar de não ser meu favorito do Gabo, (“Ninguém escreve ao coronel” que é) foi o mais marcante. Com certeza por causa de “Quem é você, Alasca?”. Além desse paralelo com o Gabo, eu gostaria de ressaltar outro aspecto do livro.

O protagonista, Miles, (ou Gordo) era um colecionador de últimas palavras. Não é spoiler, tá na sinopse e na primeira frase do livro, pode ficar tranquile. Ele gostava de memorizar as últimas palavras de todas as pessoas possíveis, mesmo sem saber nada sobre elas.

Era um hábito antigo dele, mas talvez seja o principal ponto da história. Se não for, é o principal ponto dessa. Ando pensando muito sobre últimas coisas e isso me fez chegar em uma conclusão. É impossível prever últimas coisas, a gente só pode considerar algo como último depois que o tempo determinou.

Por exemplo, últimas palavras são realmente últimas porque depois de serem proferidas, a morte fez com que se tornasse impossível outras palavras serrm ditas dessas. Já quando dizemos pra nós mesmos “esse é o último capítulo que lerei esta noite”, não temos como garantir que realmente seja.

  1. Só o tempo dirá.
  2. No dia seguinte, podemos dizer se foi ou não, mas não antes.
  3. Tudo isso sobre últimas coisas me faz pensar sobre mim e a minha relação com o encerramento dos eventos cotidianos.
  4. A realidade é que eu não posso dizer que esse foi o último até o dia da morte do meu corpo, e é exatamente por isso que eu insisto na ilusão de que foi o último, mesmo tendo tanta consciência e reflexão para saber que é impossível estabelecer isso como verdade.

Por enquanto, eu só quero ter certeza de que estou fazendo de tudo pra alcançar uma distância considerável das minhas definitivas últimas palavras.

Qual o nome da flor de Quem é você, Alasca?

As flores do dedo anelar eu escolhi porque as margaridas são citadas na história e porque tem bem na capa do livro, então margaridas sempre me lembra a Alasca. Os brilhos no dedo médio é porque isso significa a Alasca.

Por que ler Quem é você, Alasca?

O livro tem uma essência muito boa, a forma como Bujão se apaixona por Alasca, a forma como ela é misteriosa e indecifrável, a forma como existem grupos sociais dentro da escola e como eles interagem entre si, a forma como a amizade entres às personagens principais foi construída, foram coisas que melhoraram o livro e

O que fala no livro Quem é você Alasca?

Alasca Young Enigmática, rebelde e destemida, Alasca se torna o mistério favorito de Miles. O garoto se apaixona perdidamente por ela, que o arrastará sem misericórdia para o seu labirinto e transformará sua vida para sempre.

Quem é você Alasca Do que se trata?

Miles ‘Pudge’ Halter relata sua vida a partir de quando se matricula em um internato para tentar entender o significado da vida. Lá, ele se apaixona por Alaska Young e encontra-se com uma tragédia inesperada e um grupo de amigos leais.

Quem é você Alasca resumo completo?

Sinopse – Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras. Cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o “Grande Talvez”.